Installation guide (Português)

From ArchWiki
(Redirected from Guia para Iniciantes)
Jump to navigation Jump to search
Status de tradução: Esse artigo é uma tradução de Installation guide. Data da última tradução: 2019-03-20. Você pode ajudar a sincronizar a tradução, se houver alterações na versão em inglês.

Este documento irá guiá-lo no processo de instalação Arch Linux usando o Arch Install Scripts. Antes de instalar, é recomendável ler rapidamente o FAQ. Para convenções usadas neste documento, veja Help:Reading (Português). Em especial, exemplos de código podem conter objetos reservados (formatados em italics) que devem ser substituídos manualmente.

Para instruções mais detalhadas, veja os respectivos artigos ArchWiki ou as páginas man dos vários programas, ambos relacionados neste guia. Para uma ajuda interativa, o canal IRC e os fóruns também estão disponíveis.

Arch Linux deve funcionar em qualquer máquina compatível com x86_64 com um mínimo de 512 MB de RAM. Uma instalação básica com todos os pacotes do grupo base deve levar menos de 800 MB de espaço em disco. Como o processo de instalação precisa obter pacotes de repositório remoto, esse guia presume que uma conexão com a Internet esteja disponível.

Pré-instalação

A mídia de instalação e suas assinaturas GnuPG podem ser obtidas a partir da página de Download.

Verificar a assinatura

É recomendável verificar a assinatura da imagem antes de usá-la, especialmente ao fazer o download de um espelho HTTP, no qual os downloads geralmente são propensos a serem interceptados para servir imagens maliciosas.

Em um sistema com GnuPG instalado, faça isso baixando a assinatura PGP (sob Checksums) para o diretório da ISO e verificando-a com:

$ gpg --keyserver pgp.mit.edu --keyserver-options auto-key-retrieve --verify archlinux-versão-x86_64.iso.sig

Alternativamente, de uma instalação existente de Arch Linux, execute:

$ pacman-key -v archlinux-versão-x86_64.iso.sig
Nota:
  • A assinatura em si pode ser manipulada se for baixada de um site espelho, em vez de archlinux.org como acima. Nesse caso, certifique-se de que a chave pública, que é usada para decodificar a assinatura, seja assinada por outra chave confiável. O comando gpg produzirá a impressão digital da chave pública.
  • Outro método para verificar a autenticidade da assinatura é garantir que a impressão digital da chave pública seja idêntica à impressão digital da chave do desenvolvedor do Arch Linux que assinou o arquivo ISO. Veja Wikipedia:pt:Criptografia de chave pública para mais informações sobre o processo de chave pública para autenticar chaves.

Inicializar o ambiente live

O ambiente live pode ser inicializado a partir de uma unidade flash USB, um disco óptico ou uma rede com PXE. Para meios alternativos de instalação, consulte Category:Installation process (Português).

  • O apontamento do dispositivo de inicialização atual para uma unidade que contém a mídia de instalação do Arch normalmente pode ser alcançado pressionando-se uma tecla durante a fase POST, conforme indicado na tela inicial. Consulte o manual da sua placa-mãe para obter detalhes.
  • Quando o menu do Arch aparecer, selecione Boot Arch Linux e pressione Enter para entrar no ambiente de instalação.
  • Consulte README.bootparams para uma lista de parâmetros de inicialização e packages.x86_64 para uma lista de pacotes incluídos.
  • Você será autenticado no primeiro console virtual como o usuário root sob um prompt de shell Zsh.

Para trocar para um console diferente — por exemplo, para ver esse guia com ELinks junto com a instalação — use o atalho Alt+seta. Para editar arquivos de configuração, nano, vi e vim estão disponíveis.

Definir o layout do teclado

O mapa de teclas de console padrão é US. Layouts disponíveis podem ser listados com:

# ls /usr/share/kbd/keymaps/**/*.map.gz

Para modificar o layout, acrescente um nome de arquivo ao loadkeys(1), omitindo caminho e extensão de arquivo. Por exemplo, para definir um layout de teclado ABNT (brasileiro):

# loadkeys br-abnt2   

Fontes de console estão localizadas em /usr/share/kbd/consolefonts/ e, de forma semelhante, podem ser definidas com setfont(8).

Verificar o modo de inicialização

Se o modo UEFI estiver disponível em uma placa-mãe UEFI, Archiso vai inicializar o Arch Linux adequadamente via systemd-boot. Para verificar isso, liste o diretório efivars:

# ls /sys/firmware/efi/efivars

Se o diretório não existir, o sistema pode ser inicializado no modo BIOS ou CSM. Veja o manual da sua placa-mãe para detalhes.

Conectar à internet

Para configurar uma conexão de rede, siga as etapas abaixo:

  1. Certifique-se que sua interface de rede esteja listada e ativada, por exemplo, com ip-link(8):
    # ip link
  2. Conecte-se à rede. Conecte o cabo Ethernet ou conecte a uma rede sem fio.
  3. Configure sua conexão de rede:
    Nota: A imagem de instalação habilita dhcpcd (dhcpcd@interface.service) para dispositivos de rede com fio na inicialização.
  4. A conexão pode ser verificada com ping:
    # ping archlinux.org

Atualizar o relógio do sistema

Use timedatectl(1) para garantir que o relógio do sistema está certo:

# timedatectl set-ntp true

Para verificar o status do serviço, use timedatectl status.

Partição dos discos

Quando reconhecido pelo sistema live, discos são atribuídos a um dispositivo de bloco tal como /dev/sda ou /dev/nvme0n1.. Para identificar esses dispositivos, use lsblk ou fdisk.

# fdisk -l

Resultados terminando em rom, loop ou airoot podem ser ignorados.

As seguintes partições são exigidas para um dispositivo escolhido:

Se você quiser criar algum dispositivo de bloco empilhado para LVM, criptografia de sistema ou RAID, faça isso agora.

Exemplos de layouts

BIOS com MBR
Ponto de montagem Partição Tipo de partição Tamanho sugerido
/mnt /dev/sdX1 Linux Restante do dispositivo
[SWAP] /dev/sdX2 Swap Linux Mais que 512 MiB
UEFI com GPT
Ponto de montagem Partição Tipo de partição Tamanho sugerido
/mnt/boot ou /mnt/efi /dev/sdX1 Partição de sistema EFI 260–512 MiB
/mnt /dev/sdX2 Linux x86-64 root (/) Restante do dispositivo
[SWAP] /dev/sdX3 Linux swap Mais que 512 MiB

Veja também Partitioning#Example layouts.

Nota:
  • Use fdisk ou parted para modificar as tabelas de partição, por exemplo fdisk /dev/sdX.
  • Um espaço swap pode ser definido em um Arquivo swap para sistemas de arquivos que possuem suporte a file systems supporting it.

Formatar as partições

Assim que as partições tenham sido criadas, cada uma deve ser formatada com um sistema de arquivos adequado. Por exemplo, se a partição raiz está em /dev/sdX1 e receberá o sistema de arquivos ext4, execute:

# mkfs.ext4 /dev/sdX1

Se você criou uma partição para swap (por exemplo, /dev/sda3), inicialize-a com mkswap:

# mkswap /dev/sdX2
# swapon /dev/sdX2

Veja File systems#Create a file system para detalhes.

Montar os sistemas de arquivos

Monte o sistema de arquivos da partição raiz em /mnt, por exemplo:

# mount /dev/sdX1 /mnt

Crie quaisquer pontos de montagem restantes (tal como /mnt/efi) e monte suas partições correspondentes.

genfstab vai detectar os sistemas de arquivos montados e espaços swap.

Instalação

Selecionar os espelhos

Pacotes a serem instalados devem ser baixados de espelhos (mirrors), que são definidos na /etc/pacman.d/mirrorlist. No sistema live, todos os espelhos estão habilitados e ordenados por seu status e velocidade de sincronização à época em que a imagem de instalação foi criada.

Quanto mais alto um espelho está posicionado na lista, mais prioritário ele será ao baixar um pacote. Você pode querer editar o arquivo e mover espelhos geograficamente mais pertos para o topo da lista, apesar de que outros critérios devem ser levados em consideração.

Esse arquivo será posteriormente copiado para o novo sistema por pacstrap, então é melhor fazer direito.

Instalar os pacotes base

Use o script pacstrap para instalar o grupo de pacotes base:

# pacstrap /mnt base

Esse grupo não inclui todas as ferramentas da instalação live, tal como btrfs-progs ou firmware de rede sem fio específico; veja packages.x86_64 para comparação.

Para instalar pacotes e outros grupos, tal como base-devel, anexe os nomes ao pacstrap (separados por espaço) ou a comandos pacman após a etapa do #Chroot.

Configurar o sistema

Fstab

Gerar um arquivo fstab (use -U ou -L para definir por UUID ou rótulos, respectivamente):

# genfstab -p /mnt >> /mnt/etc/fstab

Verifique o arquivo resultante em /mnt/etc/fstab em seguida e edite-o caso haja erros.

Chroot

Mude a raiz para novo sistema:

# arch-chroot /mnt

Fuso horário

Defina o fuso horário:

# ln -sf /usr/share/zoneinfo/Região/Cidade /etc/localtime

Por exemplo, para definir para o fuso horário de Brasília (BRT ou BRST), execute:

# ln -s /usr/share/zoneinfo/America/Sao_Paulo /etc/localtime

Execute hwclock(8) para gerar /etc/adjtime:

# hwclock --systohc

Esse comando presume que o relógio de hardware está definido para UTC. Veja System time#Time standard para mais detalhes.

Localização

Descomente pt_BR.UTF-8 UTF-8 e qualquer outro locale em /etc/locale.gen, e gere-as com:

# locale-gen

Crie o arquivo {man|5|locale.conf}} e defina a variável LANG adequadamente:

/etc/locale.conf
LANG=pt_BR.UTF-8

Se você definir o layout do teclado, torne as alterações persistentes em vconsole.conf(5):

/etc/vconsole.conf
KEYMAP=br-abnt2

Configuração de rede

Crie o arquivo hostname:

/etc/hostname
meuhostname

Adicione entradas correspondentes ao hosts(5):

/etc/hosts
127.0.0.1	localhost.localdomain	localhost
::1		localhost.localdomain	localhost
127.0.1.1	meuhostname.localdomain	meuhostname

Se o sistema tem um endereço IP permanente, ele deve ser usado em vez de 127.0.1.1.

Complete a configuração de rede para o ambiente recém-instalado.

Initramfs

Criar um novo initramfs geralmente não é necessário, porque mkinitcpio foi executado na instalação do pacote linux com pacstrap.

Para LVM, criptografia de sistema or RAID, modifique o mkinitcpio.conf(5) e recrie a imagem initramfs:

# mkinitcpio -p linux

Senha do root

Defina a senha do root (também conhecido como "superusuário"):

# passwd

Gerenciador de boot

Veja Processo de inicialização do Arch#Gerenciador de boot para uma lista de gerenciadores de boot com suporte a Linux.

Nota: Se você tiver um CPU Intel ou AMD, habilite atualizações de microcódigo.

Reiniciar

Saia de ambiente chroot digitando exit ou pressionando Ctrl+D.

Opcionalmente, desmonte todas as partições com umount -R /mnt: isso permite noticiar quaisquer partições "ocupadas" e localizar a causa com o fuser(1).

Finalmente, reinicie a máquina digitando reboot: quaisquer partições que ainda estejam montadas serão desmontadas automaticamente por systemd. Lembre-se de remover a mídia de instalação e, então, se autenticando no novo sistema com a conta de root.

Pós-instalação

Veja Recomendações gerais por instruções de gerenciamento de sistema e tutoriais pós-instalação (como instalar uma interface gráfica de usuário, som ou um touchpad).

Para uma lista de aplicativos que podem ser de seu interesse, veja Lista de aplicativos.