Beginners' guide (Português)

From ArchWiki
Revision as of 18:31, 24 October 2012 by Karol (talk | contribs) (fix categorization)
Jump to: navigation, search

Tango-view-refresh-red.pngThis article or section is out of date.Tango-view-refresh-red.png

Reason: please use the first argument of the template to provide a brief explanation. (Discuss in Talk:Beginners' guide (Português)#)

Tango-preferences-desktop-locale.pngThis article or section needs to be translated.Tango-preferences-desktop-locale.png

Notes: please use the first argument of the template to provide more detailed indications. (Discuss in Talk:Beginners' guide (Português)#)
zh-CN:Beginners' Guide

zh-TW:Beginners' Guide

Dica: Este guia também está disponível em múltiplas páginas, e não apenas neste grande artigo. Se preferes ler o artigo em partes, por favor, acesse este link.

Template:Article summary start Template:Article summary text Template:Article summary heading Template:Article summary wiki Template:Article summary wiki Template:Article summary wiki Template:Article summary wiki Template:Article summary wiki Template:Article summary wiki Template:Article summary end Este documento irá guiá-lo no processo de instalação Arch Linux usando o Arch Install Scripts. Antes de instalar, é recomendável ler rapidamente o FAQ. Para convenções usadas neste documento, veja Help:Reading (Português).

Para instruções mais detalhadas, veja os respectivos artigos ArchWiki ou as páginas de manual dos vários programas, ambos relacionados neste guia. Veja archlinux(7) para uma visão geral da configuração. Para uma ajuda interativa, o canal IRC e os fóruns também estão disponíveis.

Contents

Pré-instalação

Arch Linux deve funcionar em qualquer máquina compatível com x86_64 com um mínimo de 512 MB de RAM. Uma instalação básica com todos os pacotes do grupo base deve levar menos de 800 MB de espaço em disco. Como o processo de instalação precisa obter pacotes de repositório remoto, uma conexão internet deve é necessária.

Baixe e inicialize a mídia de instalação como explicado em Category:Getting and installing Arch (Português). Você será autenticado no primeiro console virtual como o usuário root e apresentado como um prompt shell Zsh; comandos comuns como systemctl(1) podem ser completados com tab.

Para trocar para um console diferente — por exemplo, para ver esse guia com ELinks junto com a instalação — use o atalho Alt+seta. Para editar arquivos de configuração, nano, vi e vim estão disponíveis.

Definir o layout do teclado

O mapa de teclas de console padrão é US. Para listar todos os layouts disponíveis, execute ls /usr/share/kbd/keymaps/**/*.map.gz.

Para modificar o layout, acrescente um nome de arquivo ao loadkeys(1), omitindo caminho e extensão de arquivo. Por exemplo, execute loadkeys br-abnt2 para definir um layout de teclado ABNT (brasileiro).

Fontes de console estão localizadas em /usr/share/kbd/consolefonts/ e, de forma semelhante, podem ser definidas com setfont(8).

Verificar o modo de inicialização

Se o modo UEFI estiver disponível em uma placa-mãe UEFI, Archiso vai inicializar o Arch Linux adequadamente via systemd-boot. Para verificar isso, liste o diretório efivars:

# ls /sys/firmware/efi/efivars

Se o diretório não existir, o sistema pode ser inicializado no modo BIOS ou CSM. Veja o manual da sua placa-mãe para detalhes.

Conectar à Internet

A imagem de instalação habilita o daemon dhcpcd na inicialização para dispositivos cabeados e vai tentar iniciar uma conexão. Verifique se a conectividade da internet está disponível, por exemplo com ping:

# ping archlinux.org

Se nenhum estiver disponível, pare o serviço dhcpcd com systemctl stop dhcpcd@<TAB> e veja Configuração de rede.

Para conexões sem fio (wireless), iw(8), wpa_supplicant(8) e netctl estão disponíveis. Veja Configuração de rede sem fio.

Atualizar o relógio do sistema

Use timedatectl(1) para garantir que o relógio do sistema está certo:

# timedatectl set-ntp true

Para verificar o status do serviço, use timedatectl status.

Partição dos discos

Quando reconhecido pelo sistema live, discos são atribuídos a um dispositivo de bloco tal como /dev/sda. Para identificar esses dispositivos, use lsblk ou fdisk — resultados no final de rom, loop ou airoot podem ser ignorados:

# fdisk -l

As seguintes partições (mostradas com um sufixo numérico) são exigidos para um dispositivo escolhido:

Espaço swap pode ser definido em uma partição separada ou um arquivo swap.

Para modificar as tabelas de partição, use fdisk ou parted. Veja Particionamento para mais informações.

Se você quiser criar qualquer dispositivo de bloco stacked para LVM, criptografia de disco ou RAID, faça-o agora.

Formatar as partições

Assim que as partições tenham sido criadas, cada uma deve ser formatada com um sistema de arquivos adequado. Por exemplo, para formatar a partição raiz em /dev/sda1 com ext4, execute:

# mkfs.ext4 /dev/sda1

Veja File systems#Create a file system para detalhes.

Montar os sistemas de arquivos

Monte o sistema de arquivos da partição raiz em /mnt, por exemplo:

# mount /dev/sda1 /mnt

Crie pontos de montagem para quaisquer partições restantes e monte-as conforme adequado, por exemplo:

# mkdir /mnt/boot
# mount /dev/sda2 /mnt/boot

genfstab vai detectar os sistemas de arquivos montados e espaços swap.

Instalação

Selecionar os mirrors

Pacotes a serem instalados devem ser baixados de servidores mirrors, que são definidos na /etc/pacman.d/mirrorlist. No sistema live, todos os mirrors estão habilitados e ordenados por seu status e velocidade de sincronização à época em que a imagem de instalação foi criada.

Quanto mais alto um mirror está posicionado na lista, mais prioritário ele será ao baixar um pacote. Você pode querer editar o arquivo e mover mirrors geograficamente mais pertos para o topo da lista, apesar de que outros critérios devem ser levados em consideração.

Esse arquivo será posteriormente copiado para o novo sistema por pacstrap, então é melhor fazer direito.

Instalar os pacotes base

Use o script pacstrap para instalar o grupo de pacotes base:

# pacstrap /mnt base

Esse grupo não inclui todas as ferramentas da instalação live, tal como btrfs-progs ou firmware de rede sem fio específico; veja packages.both para comparação.

Para instalar pacotes e outros grupos, tal como base-devel, anexe os nomes ao pacstrap (separados por espaço) ou a comandos pacman após a etapa do #Chroot.

Configurar o sistema

Fstab

Gerar um arquivo fstab (use -U ou -L para definir por UUID ou rótulos, respectivamente):

# genfstab -p /mnt >> /mnt/etc/fstab

Verifique o arquivo resultante em /mnt/etc/fstab em seguida e edite-o caso haja erros.

Chroot

Mude a raiz para novo sistema:

# arch-chroot /mnt

Fuso horário

Defina o fuso horário:

# ln -sf /usr/share/zoneinfo/Região/Cidade /etc/localtime

Por exemplo, para definir para o fuso horário de Brasília (BRT ou BRST), execute:

# ln -s /usr/share/zoneinfo/America/Sao_Paulo /etc/localtime

Execute hwclock(8) para gerar /etc/adjtime:

# hwclock --systohc

Esse comando presume que o relógio de hardware está definido para UTC. Veja Time#Time standard para mais detalhes.

Locale

Descomente pt_BR.UTF-8 UTF-8 e qualquer outra localização em /etc/locale.gen, e gere-as com:

# locale-gen

Defina a variável LANG em locale.conf(5) adequadamente, por exemplo:

/etc/locale.conf
LANG=pt_BR.UTF-8

Se você definir o layout do teclado, torne as alterações persistentes em vconsole.conf(5):

/etc/vconsole.conf
KEYMAP=br-abnt2

Hostname

Crie o arquivo hostname(5):

/etc/hostname
meuhostname

Considere adicionar uma entrada correspondente ao hosts(5):

/etc/hosts
127.0.0.1	localhost.localdomain	localhost
::1		localhost.localdomain	localhost
127.0.1.1	meuhostname.localdomain	meuhostname

Veja também Configuração de rede#Configurando um hostname.

Configuração de rede

O recém-instalado ambiente possui nenhuma conectividade de rede ativada por padrão. Veja Configuração de rede para configurar uma.

Para Configuração sem fio, instale os pacotes iw e wpa_supplicant, assim como pacotes de firmware que se fizerem necessários. Opcionalmente, instale dialog para uso de wifi-menu.

Initramfs

Criar um novo initramfs geralmente não é necessário, porque mkinitcpio foi executado na instalação do pacote linux com pacstrap.

Para configurações especiais, modifique o arquivo mkinitcpio.conf(5) e recrie a imagem initramfs:

# mkinitcpio -p linux

Senha do root

Defina a senha do root (também conhecido como "superusuário"):

# passwd

Gerenciador de boot

Você pode escolher entre GRUB ou Syslinux.

Veja Category:Boot loaders para escolhas disponíveis e configurações.

Se você tiver um CPU Intel, instale o pacote intel-ucode também, e habilite atualizações de microcode.

Reiniciar

Saia de ambiente chroot digitando exit ou pressionando Ctrl+D.

Opcionalmente, desmonte todas as partições com umount -R /mnt: isso permite noticiar quaisquer partições "ocupadas" e localizar a causa com o fuser(1).

Finalmente, reinicie a máquina digitando reboot: quaisquer partições que ainda estejam montadas serão desmontadas automaticamente por systemd. Lembre-se de remover a mídia de instalação e, então, se autenticando no novo sistema com a conta de root.

Pós-instalação

Veja Recomendações gerais por instruções de gerenciamento de sistema e tutoriais pós-instalação (como instalar uma interface gráfica de usuário, som ou um touchpad).

Para uma lista de aplicativos que podem ser de seu interesse, veja Lista de aplicativos. Este documento irá guiá-lo no processo de instalação Arch Linux usando o Arch Install Scripts. Antes de instalar, é recomendável ler rapidamente o FAQ. Para convenções usadas neste documento, veja Help:Reading (Português).

Para instruções mais detalhadas, veja os respectivos artigos ArchWiki ou as páginas de manual dos vários programas, ambos relacionados neste guia. Veja archlinux(7) para uma visão geral da configuração. Para uma ajuda interativa, o canal IRC e os fóruns também estão disponíveis.

Pré-instalação

Arch Linux deve funcionar em qualquer máquina compatível com x86_64 com um mínimo de 512 MB de RAM. Uma instalação básica com todos os pacotes do grupo base deve levar menos de 800 MB de espaço em disco. Como o processo de instalação precisa obter pacotes de repositório remoto, uma conexão internet deve é necessária.

Baixe e inicialize a mídia de instalação como explicado em Category:Getting and installing Arch (Português). Você será autenticado no primeiro console virtual como o usuário root e apresentado como um prompt shell Zsh; comandos comuns como systemctl(1) podem ser completados com tab.

Para trocar para um console diferente — por exemplo, para ver esse guia com ELinks junto com a instalação — use o atalho Alt+seta. Para editar arquivos de configuração, nano, vi e vim estão disponíveis.

Definir o layout do teclado

O mapa de teclas de console padrão é US. Para listar todos os layouts disponíveis, execute ls /usr/share/kbd/keymaps/**/*.map.gz.

Para modificar o layout, acrescente um nome de arquivo ao loadkeys(1), omitindo caminho e extensão de arquivo. Por exemplo, execute loadkeys br-abnt2 para definir um layout de teclado ABNT (brasileiro).

Fontes de console estão localizadas em /usr/share/kbd/consolefonts/ e, de forma semelhante, podem ser definidas com setfont(8).

Verificar o modo de inicialização

Se o modo UEFI estiver disponível em uma placa-mãe UEFI, Archiso vai inicializar o Arch Linux adequadamente via systemd-boot. Para verificar isso, liste o diretório efivars:

# ls /sys/firmware/efi/efivars

Se o diretório não existir, o sistema pode ser inicializado no modo BIOS ou CSM. Veja o manual da sua placa-mãe para detalhes.

Conectar à Internet

A imagem de instalação habilita o daemon dhcpcd na inicialização para dispositivos cabeados e vai tentar iniciar uma conexão. Verifique se a conectividade da internet está disponível, por exemplo com ping:

# ping archlinux.org

Se nenhum estiver disponível, pare o serviço dhcpcd com systemctl stop dhcpcd@<TAB> e veja Configuração de rede.

Para conexões sem fio (wireless), iw(8), wpa_supplicant(8) e netctl estão disponíveis. Veja Configuração de rede sem fio.

Atualizar o relógio do sistema

Use timedatectl(1) para garantir que o relógio do sistema está certo:

# timedatectl set-ntp true

Para verificar o status do serviço, use timedatectl status.

Partição dos discos

Quando reconhecido pelo sistema live, discos são atribuídos a um dispositivo de bloco tal como /dev/sda. Para identificar esses dispositivos, use lsblk ou fdisk — resultados no final de rom, loop ou airoot podem ser ignorados:

# fdisk -l

As seguintes partições (mostradas com um sufixo numérico) são exigidos para um dispositivo escolhido:

Espaço swap pode ser definido em uma partição separada ou um arquivo swap.

Para modificar as tabelas de partição, use fdisk ou parted. Veja Particionamento para mais informações.

Se você quiser criar qualquer dispositivo de bloco stacked para LVM, criptografia de disco ou RAID, faça-o agora.

Formatar as partições

Assim que as partições tenham sido criadas, cada uma deve ser formatada com um sistema de arquivos adequado. Por exemplo, para formatar a partição raiz em /dev/sda1 com ext4, execute:

# mkfs.ext4 /dev/sda1

Veja File systems#Create a file system para detalhes.

Montar os sistemas de arquivos

Monte o sistema de arquivos da partição raiz em /mnt, por exemplo:

# mount /dev/sda1 /mnt

Crie pontos de montagem para quaisquer partições restantes e monte-as conforme adequado, por exemplo:

# mkdir /mnt/boot
# mount /dev/sda2 /mnt/boot

genfstab vai detectar os sistemas de arquivos montados e espaços swap.

Instalação

Selecionar os mirrors

Pacotes a serem instalados devem ser baixados de servidores mirrors, que são definidos na /etc/pacman.d/mirrorlist. No sistema live, todos os mirrors estão habilitados e ordenados por seu status e velocidade de sincronização à época em que a imagem de instalação foi criada.

Quanto mais alto um mirror está posicionado na lista, mais prioritário ele será ao baixar um pacote. Você pode querer editar o arquivo e mover mirrors geograficamente mais pertos para o topo da lista, apesar de que outros critérios devem ser levados em consideração.

Esse arquivo será posteriormente copiado para o novo sistema por pacstrap, então é melhor fazer direito.

Instalar os pacotes base

Use o script pacstrap para instalar o grupo de pacotes base:

# pacstrap /mnt base

Esse grupo não inclui todas as ferramentas da instalação live, tal como btrfs-progs ou firmware de rede sem fio específico; veja packages.both para comparação.

Para instalar pacotes e outros grupos, tal como base-devel, anexe os nomes ao pacstrap (separados por espaço) ou a comandos pacman após a etapa do #Chroot.

Configurar o sistema

Fstab

Gerar um arquivo fstab (use -U ou -L para definir por UUID ou rótulos, respectivamente):

# genfstab -p /mnt >> /mnt/etc/fstab

Verifique o arquivo resultante em /mnt/etc/fstab em seguida e edite-o caso haja erros.

Chroot

Mude a raiz para novo sistema:

# arch-chroot /mnt

Fuso horário

Defina o fuso horário:

# ln -sf /usr/share/zoneinfo/Região/Cidade /etc/localtime

Por exemplo, para definir para o fuso horário de Brasília (BRT ou BRST), execute:

# ln -s /usr/share/zoneinfo/America/Sao_Paulo /etc/localtime

Execute hwclock(8) para gerar /etc/adjtime:

# hwclock --systohc

Esse comando presume que o relógio de hardware está definido para UTC. Veja Time#Time standard para mais detalhes.

Locale

Descomente pt_BR.UTF-8 UTF-8 e qualquer outra localização em /etc/locale.gen, e gere-as com:

# locale-gen

Defina a variável LANG em locale.conf(5) adequadamente, por exemplo:

/etc/locale.conf
LANG=pt_BR.UTF-8

Se você definir o layout do teclado, torne as alterações persistentes em vconsole.conf(5):

/etc/vconsole.conf
KEYMAP=br-abnt2

Hostname

Crie o arquivo hostname(5):

/etc/hostname
meuhostname

Considere adicionar uma entrada correspondente ao hosts(5):

/etc/hosts
127.0.0.1	localhost.localdomain	localhost
::1		localhost.localdomain	localhost
127.0.1.1	meuhostname.localdomain	meuhostname

Veja também Configuração de rede#Configurando um hostname.

Configuração de rede

O recém-instalado ambiente possui nenhuma conectividade de rede ativada por padrão. Veja Configuração de rede para configurar uma.

Para Configuração sem fio, instale os pacotes iw e wpa_supplicant, assim como pacotes de firmware que se fizerem necessários. Opcionalmente, instale dialog para uso de wifi-menu.

Initramfs

Criar um novo initramfs geralmente não é necessário, porque mkinitcpio foi executado na instalação do pacote linux com pacstrap.

Para configurações especiais, modifique o arquivo mkinitcpio.conf(5) e recrie a imagem initramfs:

# mkinitcpio -p linux

Senha do root

Defina a senha do root (também conhecido como "superusuário"):

# passwd

Gerenciador de boot

Você pode escolher entre GRUB ou Syslinux.

Veja Category:Boot loaders para escolhas disponíveis e configurações.

Se você tiver um CPU Intel, instale o pacote intel-ucode também, e habilite atualizações de microcode.

Reiniciar

Saia de ambiente chroot digitando exit ou pressionando Ctrl+D.

Opcionalmente, desmonte todas as partições com umount -R /mnt: isso permite noticiar quaisquer partições "ocupadas" e localizar a causa com o fuser(1).

Finalmente, reinicie a máquina digitando reboot: quaisquer partições que ainda estejam montadas serão desmontadas automaticamente por systemd. Lembre-se de remover a mídia de instalação e, então, se autenticando no novo sistema com a conta de root.

Pós-instalação

Veja Recomendações gerais por instruções de gerenciamento de sistema e tutoriais pós-instalação (como instalar uma interface gráfica de usuário, som ou um touchpad).

Para uma lista de aplicativos que podem ser de seu interesse, veja Lista de aplicativos. Este documento irá guiá-lo no processo de instalação Arch Linux usando o Arch Install Scripts. Antes de instalar, é recomendável ler rapidamente o FAQ. Para convenções usadas neste documento, veja Help:Reading (Português).

Para instruções mais detalhadas, veja os respectivos artigos ArchWiki ou as páginas de manual dos vários programas, ambos relacionados neste guia. Veja archlinux(7) para uma visão geral da configuração. Para uma ajuda interativa, o canal IRC e os fóruns também estão disponíveis.

Pré-instalação

Arch Linux deve funcionar em qualquer máquina compatível com x86_64 com um mínimo de 512 MB de RAM. Uma instalação básica com todos os pacotes do grupo base deve levar menos de 800 MB de espaço em disco. Como o processo de instalação precisa obter pacotes de repositório remoto, uma conexão internet deve é necessária.

Baixe e inicialize a mídia de instalação como explicado em Category:Getting and installing Arch (Português). Você será autenticado no primeiro console virtual como o usuário root e apresentado como um prompt shell Zsh; comandos comuns como systemctl(1) podem ser completados com tab.

Para trocar para um console diferente — por exemplo, para ver esse guia com ELinks junto com a instalação — use o atalho Alt+seta. Para editar arquivos de configuração, nano, vi e vim estão disponíveis.

Definir o layout do teclado

O mapa de teclas de console padrão é US. Para listar todos os layouts disponíveis, execute ls /usr/share/kbd/keymaps/**/*.map.gz.

Para modificar o layout, acrescente um nome de arquivo ao loadkeys(1), omitindo caminho e extensão de arquivo. Por exemplo, execute loadkeys br-abnt2 para definir um layout de teclado ABNT (brasileiro).

Fontes de console estão localizadas em /usr/share/kbd/consolefonts/ e, de forma semelhante, podem ser definidas com setfont(8).

Verificar o modo de inicialização

Se o modo UEFI estiver disponível em uma placa-mãe UEFI, Archiso vai inicializar o Arch Linux adequadamente via systemd-boot. Para verificar isso, liste o diretório efivars:

# ls /sys/firmware/efi/efivars

Se o diretório não existir, o sistema pode ser inicializado no modo BIOS ou CSM. Veja o manual da sua placa-mãe para detalhes.

Conectar à Internet

A imagem de instalação habilita o daemon dhcpcd na inicialização para dispositivos cabeados e vai tentar iniciar uma conexão. Verifique se a conectividade da internet está disponível, por exemplo com ping:

# ping archlinux.org

Se nenhum estiver disponível, pare o serviço dhcpcd com systemctl stop dhcpcd@<TAB> e veja Configuração de rede.

Para conexões sem fio (wireless), iw(8), wpa_supplicant(8) e netctl estão disponíveis. Veja Configuração de rede sem fio.

Atualizar o relógio do sistema

Use timedatectl(1) para garantir que o relógio do sistema está certo:

# timedatectl set-ntp true

Para verificar o status do serviço, use timedatectl status.

Partição dos discos

Quando reconhecido pelo sistema live, discos são atribuídos a um dispositivo de bloco tal como /dev/sda. Para identificar esses dispositivos, use lsblk ou fdisk — resultados no final de rom, loop ou airoot podem ser ignorados:

# fdisk -l

As seguintes partições (mostradas com um sufixo numérico) são exigidos para um dispositivo escolhido:

Espaço swap pode ser definido em uma partição separada ou um arquivo swap.

Para modificar as tabelas de partição, use fdisk ou parted. Veja Particionamento para mais informações.

Se você quiser criar qualquer dispositivo de bloco stacked para LVM, criptografia de disco ou RAID, faça-o agora.

Formatar as partições

Assim que as partições tenham sido criadas, cada uma deve ser formatada com um sistema de arquivos adequado. Por exemplo, para formatar a partição raiz em /dev/sda1 com ext4, execute:

# mkfs.ext4 /dev/sda1

Veja File systems#Create a file system para detalhes.

Montar os sistemas de arquivos

Monte o sistema de arquivos da partição raiz em /mnt, por exemplo:

# mount /dev/sda1 /mnt

Crie pontos de montagem para quaisquer partições restantes e monte-as conforme adequado, por exemplo:

# mkdir /mnt/boot
# mount /dev/sda2 /mnt/boot

genfstab vai detectar os sistemas de arquivos montados e espaços swap.

Instalação

Selecionar os mirrors

Pacotes a serem instalados devem ser baixados de servidores mirrors, que são definidos na /etc/pacman.d/mirrorlist. No sistema live, todos os mirrors estão habilitados e ordenados por seu status e velocidade de sincronização à época em que a imagem de instalação foi criada.

Quanto mais alto um mirror está posicionado na lista, mais prioritário ele será ao baixar um pacote. Você pode querer editar o arquivo e mover mirrors geograficamente mais pertos para o topo da lista, apesar de que outros critérios devem ser levados em consideração.

Esse arquivo será posteriormente copiado para o novo sistema por pacstrap, então é melhor fazer direito.

Instalar os pacotes base

Use o script pacstrap para instalar o grupo de pacotes base:

# pacstrap /mnt base

Esse grupo não inclui todas as ferramentas da instalação live, tal como btrfs-progs ou firmware de rede sem fio específico; veja packages.both para comparação.

Para instalar pacotes e outros grupos, tal como base-devel, anexe os nomes ao pacstrap (separados por espaço) ou a comandos pacman após a etapa do #Chroot.

Configurar o sistema

Fstab

Gerar um arquivo fstab (use -U ou -L para definir por UUID ou rótulos, respectivamente):

# genfstab -p /mnt >> /mnt/etc/fstab

Verifique o arquivo resultante em /mnt/etc/fstab em seguida e edite-o caso haja erros.

Chroot

Mude a raiz para novo sistema:

# arch-chroot /mnt

Fuso horário

Defina o fuso horário:

# ln -sf /usr/share/zoneinfo/Região/Cidade /etc/localtime

Por exemplo, para definir para o fuso horário de Brasília (BRT ou BRST), execute:

# ln -s /usr/share/zoneinfo/America/Sao_Paulo /etc/localtime

Execute hwclock(8) para gerar /etc/adjtime:

# hwclock --systohc

Esse comando presume que o relógio de hardware está definido para UTC. Veja Time#Time standard para mais detalhes.

Locale

Descomente pt_BR.UTF-8 UTF-8 e qualquer outra localização em /etc/locale.gen, e gere-as com:

# locale-gen

Defina a variável LANG em locale.conf(5) adequadamente, por exemplo:

/etc/locale.conf
LANG=pt_BR.UTF-8

Se você definir o layout do teclado, torne as alterações persistentes em vconsole.conf(5):

/etc/vconsole.conf
KEYMAP=br-abnt2

Hostname

Crie o arquivo hostname(5):

/etc/hostname
meuhostname

Considere adicionar uma entrada correspondente ao hosts(5):

/etc/hosts
127.0.0.1	localhost.localdomain	localhost
::1		localhost.localdomain	localhost
127.0.1.1	meuhostname.localdomain	meuhostname

Veja também Configuração de rede#Configurando um hostname.

Configuração de rede

O recém-instalado ambiente possui nenhuma conectividade de rede ativada por padrão. Veja Configuração de rede para configurar uma.

Para Configuração sem fio, instale os pacotes iw e wpa_supplicant, assim como pacotes de firmware que se fizerem necessários. Opcionalmente, instale dialog para uso de wifi-menu.

Initramfs

Criar um novo initramfs geralmente não é necessário, porque mkinitcpio foi executado na instalação do pacote linux com pacstrap.

Para configurações especiais, modifique o arquivo mkinitcpio.conf(5) e recrie a imagem initramfs:

# mkinitcpio -p linux

Senha do root

Defina a senha do root (também conhecido como "superusuário"):

# passwd

Gerenciador de boot

Você pode escolher entre GRUB ou Syslinux.

Veja Category:Boot loaders para escolhas disponíveis e configurações.

Se você tiver um CPU Intel, instale o pacote intel-ucode também, e habilite atualizações de microcode.

Reiniciar

Saia de ambiente chroot digitando exit ou pressionando Ctrl+D.

Opcionalmente, desmonte todas as partições com umount -R /mnt: isso permite noticiar quaisquer partições "ocupadas" e localizar a causa com o fuser(1).

Finalmente, reinicie a máquina digitando reboot: quaisquer partições que ainda estejam montadas serão desmontadas automaticamente por systemd. Lembre-se de remover a mídia de instalação e, então, se autenticando no novo sistema com a conta de root.

Pós-instalação

Veja Recomendações gerais por instruções de gerenciamento de sistema e tutoriais pós-instalação (como instalar uma interface gráfica de usuário, som ou um touchpad).

Para uma lista de aplicativos que podem ser de seu interesse, veja Lista de aplicativos. Este documento irá guiá-lo no processo de instalação Arch Linux usando o Arch Install Scripts. Antes de instalar, é recomendável ler rapidamente o FAQ. Para convenções usadas neste documento, veja Help:Reading (Português).

Para instruções mais detalhadas, veja os respectivos artigos ArchWiki ou as páginas de manual dos vários programas, ambos relacionados neste guia. Veja archlinux(7) para uma visão geral da configuração. Para uma ajuda interativa, o canal IRC e os fóruns também estão disponíveis.

Pré-instalação

Arch Linux deve funcionar em qualquer máquina compatível com x86_64 com um mínimo de 512 MB de RAM. Uma instalação básica com todos os pacotes do grupo base deve levar menos de 800 MB de espaço em disco. Como o processo de instalação precisa obter pacotes de repositório remoto, uma conexão internet deve é necessária.

Baixe e inicialize a mídia de instalação como explicado em Category:Getting and installing Arch (Português). Você será autenticado no primeiro console virtual como o usuário root e apresentado como um prompt shell Zsh; comandos comuns como systemctl(1) podem ser completados com tab.

Para trocar para um console diferente — por exemplo, para ver esse guia com ELinks junto com a instalação — use o atalho Alt+seta. Para editar arquivos de configuração, nano, vi e vim estão disponíveis.

Definir o layout do teclado

O mapa de teclas de console padrão é US. Para listar todos os layouts disponíveis, execute ls /usr/share/kbd/keymaps/**/*.map.gz.

Para modificar o layout, acrescente um nome de arquivo ao loadkeys(1), omitindo caminho e extensão de arquivo. Por exemplo, execute loadkeys br-abnt2 para definir um layout de teclado ABNT (brasileiro).

Fontes de console estão localizadas em /usr/share/kbd/consolefonts/ e, de forma semelhante, podem ser definidas com setfont(8).

Verificar o modo de inicialização

Se o modo UEFI estiver disponível em uma placa-mãe UEFI, Archiso vai inicializar o Arch Linux adequadamente via systemd-boot. Para verificar isso, liste o diretório efivars:

# ls /sys/firmware/efi/efivars

Se o diretório não existir, o sistema pode ser inicializado no modo BIOS ou CSM. Veja o manual da sua placa-mãe para detalhes.

Conectar à Internet

A imagem de instalação habilita o daemon dhcpcd na inicialização para dispositivos cabeados e vai tentar iniciar uma conexão. Verifique se a conectividade da internet está disponível, por exemplo com ping:

# ping archlinux.org

Se nenhum estiver disponível, pare o serviço dhcpcd com systemctl stop dhcpcd@<TAB> e veja Configuração de rede.

Para conexões sem fio (wireless), iw(8), wpa_supplicant(8) e netctl estão disponíveis. Veja Configuração de rede sem fio.

Atualizar o relógio do sistema

Use timedatectl(1) para garantir que o relógio do sistema está certo:

# timedatectl set-ntp true

Para verificar o status do serviço, use timedatectl status.

Partição dos discos

Quando reconhecido pelo sistema live, discos são atribuídos a um dispositivo de bloco tal como /dev/sda. Para identificar esses dispositivos, use lsblk ou fdisk — resultados no final de rom, loop ou airoot podem ser ignorados:

# fdisk -l

As seguintes partições (mostradas com um sufixo numérico) são exigidos para um dispositivo escolhido:

Espaço swap pode ser definido em uma partição separada ou um arquivo swap.

Para modificar as tabelas de partição, use fdisk ou parted. Veja Particionamento para mais informações.

Se você quiser criar qualquer dispositivo de bloco stacked para LVM, criptografia de disco ou RAID, faça-o agora.

Formatar as partições

Assim que as partições tenham sido criadas, cada uma deve ser formatada com um sistema de arquivos adequado. Por exemplo, para formatar a partição raiz em /dev/sda1 com ext4, execute:

# mkfs.ext4 /dev/sda1

Veja File systems#Create a file system para detalhes.

Montar os sistemas de arquivos

Monte o sistema de arquivos da partição raiz em /mnt, por exemplo:

# mount /dev/sda1 /mnt

Crie pontos de montagem para quaisquer partições restantes e monte-as conforme adequado, por exemplo:

# mkdir /mnt/boot
# mount /dev/sda2 /mnt/boot

genfstab vai detectar os sistemas de arquivos montados e espaços swap.

Instalação

Selecionar os mirrors

Pacotes a serem instalados devem ser baixados de servidores mirrors, que são definidos na /etc/pacman.d/mirrorlist. No sistema live, todos os mirrors estão habilitados e ordenados por seu status e velocidade de sincronização à época em que a imagem de instalação foi criada.

Quanto mais alto um mirror está posicionado na lista, mais prioritário ele será ao baixar um pacote. Você pode querer editar o arquivo e mover mirrors geograficamente mais pertos para o topo da lista, apesar de que outros critérios devem ser levados em consideração.

Esse arquivo será posteriormente copiado para o novo sistema por pacstrap, então é melhor fazer direito.

Instalar os pacotes base

Use o script pacstrap para instalar o grupo de pacotes base:

# pacstrap /mnt base

Esse grupo não inclui todas as ferramentas da instalação live, tal como btrfs-progs ou firmware de rede sem fio específico; veja packages.both para comparação.

Para instalar pacotes e outros grupos, tal como base-devel, anexe os nomes ao pacstrap (separados por espaço) ou a comandos pacman após a etapa do #Chroot.

Configurar o sistema

Fstab

Gerar um arquivo fstab (use -U ou -L para definir por UUID ou rótulos, respectivamente):

# genfstab -p /mnt >> /mnt/etc/fstab

Verifique o arquivo resultante em /mnt/etc/fstab em seguida e edite-o caso haja erros.

Chroot

Mude a raiz para novo sistema:

# arch-chroot /mnt

Fuso horário

Defina o fuso horário:

# ln -sf /usr/share/zoneinfo/Região/Cidade /etc/localtime

Por exemplo, para definir para o fuso horário de Brasília (BRT ou BRST), execute:

# ln -s /usr/share/zoneinfo/America/Sao_Paulo /etc/localtime

Execute hwclock(8) para gerar /etc/adjtime:

# hwclock --systohc

Esse comando presume que o relógio de hardware está definido para UTC. Veja Time#Time standard para mais detalhes.

Locale

Descomente pt_BR.UTF-8 UTF-8 e qualquer outra localização em /etc/locale.gen, e gere-as com:

# locale-gen

Defina a variável LANG em locale.conf(5) adequadamente, por exemplo:

/etc/locale.conf
LANG=pt_BR.UTF-8

Se você definir o layout do teclado, torne as alterações persistentes em vconsole.conf(5):

/etc/vconsole.conf
KEYMAP=br-abnt2

Hostname

Crie o arquivo hostname(5):

/etc/hostname
meuhostname

Considere adicionar uma entrada correspondente ao hosts(5):

/etc/hosts
127.0.0.1	localhost.localdomain	localhost
::1		localhost.localdomain	localhost
127.0.1.1	meuhostname.localdomain	meuhostname

Veja também Configuração de rede#Configurando um hostname.

Configuração de rede

O recém-instalado ambiente possui nenhuma conectividade de rede ativada por padrão. Veja Configuração de rede para configurar uma.

Para Configuração sem fio, instale os pacotes iw e wpa_supplicant, assim como pacotes de firmware que se fizerem necessários. Opcionalmente, instale dialog para uso de wifi-menu.

Initramfs

Criar um novo initramfs geralmente não é necessário, porque mkinitcpio foi executado na instalação do pacote linux com pacstrap.

Para configurações especiais, modifique o arquivo mkinitcpio.conf(5) e recrie a imagem initramfs:

# mkinitcpio -p linux

Senha do root

Defina a senha do root (também conhecido como "superusuário"):

# passwd

Gerenciador de boot

Você pode escolher entre GRUB ou Syslinux.

Veja Category:Boot loaders para escolhas disponíveis e configurações.

Se você tiver um CPU Intel, instale o pacote intel-ucode também, e habilite atualizações de microcode.

Reiniciar

Saia de ambiente chroot digitando exit ou pressionando Ctrl+D.

Opcionalmente, desmonte todas as partições com umount -R /mnt: isso permite noticiar quaisquer partições "ocupadas" e localizar a causa com o fuser(1).

Finalmente, reinicie a máquina digitando reboot: quaisquer partições que ainda estejam montadas serão desmontadas automaticamente por systemd. Lembre-se de remover a mídia de instalação e, então, se autenticando no novo sistema com a conta de root.

Pós-instalação

Veja Recomendações gerais por instruções de gerenciamento de sistema e tutoriais pós-instalação (como instalar uma interface gráfica de usuário, som ou um touchpad).

Para uma lista de aplicativos que podem ser de seu interesse, veja Lista de aplicativos.