Fluxbox (Português)

From ArchWiki
Revision as of 11:26, 31 January 2012 by Risthel (Talk | contribs) (Gerenciamento do menu)

Jump to: navigation, search

This template has only maintenance purposes. For linking to local translations please use interlanguage links, see Help:i18n#Interlanguage links.


Local languages: Català – Dansk – English – Español – Esperanto – Hrvatski – Indonesia – Italiano – Lietuviškai – Magyar – Nederlands – Norsk Bokmål – Polski – Português – Slovenský – Česky – Ελληνικά – Български – Русский – Српски – Українська – עברית – العربية – ไทย – 日本語 – 正體中文 – 简体中文 – 한국어


External languages (all articles in these languages should be moved to the external wiki): Deutsch – Français – Română – Suomi – Svenska – Tiếng Việt – Türkçe – فارسی

Flubox é um gerenciador de janelas para X11. É baseado no código do(agora descontinuado) Blackbox 0.61.1, porém com significantes melhoras e desenvolvimento contínuo. Fluxbox é bastante leve a nível de recursos e rápido, e ainda provê ferramentas interesantes para gerenciamento de janelas como abas e agrupamentos. Seus arquivos de configuração são fáceis de entender e editar e existem centenas de "estilos" de fluxbox para tornar a aparencia do seu desktop legal. ArchLinux com FluxBox pode tornar um velho Pentium 800 com apenas 256MB de RAM em um computador bastante usável.

Instalação

A instalação é tão fácil quanto:

  1. pacman -S fluxbox fluxconf

Iniciando o Fluxbox

Método 1: Gerenciadores de Login KDM/GDM/LightDM

Usuários do KDM, GDM e LightDM deverão encontrar uma nova entrada referente ao fluxbox de forma automática na lista de sessões disponíveis. Apenas selecione o fluxbox quando logando.

Método 2: ~/.xinitrc

Edite Template:Filename e adicione o seguinte código:

exec fluxbox

Se você prefere ter os dispositivos montados automaticamente(ex: no Thunar ou outros gerenciadores de arquivo), use o seguinte código:

exec ck-launch-session dbus-launch startfluxbox

Veja Xinitrc para maiores detalhes. Utilize o comando "startx" de um terminal para lançar o X com o seu gerenciador de janelas.

Método 3: Gerenciador de login SLiM

SLiM, the Simple Login Manager(o gerenciado de login simples) é o favorito para muitos usuários do Arch por conta de sua eficiência. O SLiM lê o arquivo ~/.xinitrc, portanto, se você tiver o .xinitrc configurado como o acima irá funcionar. Contudo, se você quer habilitar o SLiM para escolher entre diversos gerenciadores de janelas então edite a variavel de sessões no arquivo Template:Filename para que os nomes sejam comparados com a declaração "case" no arquivo Template:Filename Veja SLiM e Xinitrc.

Configuração

O arquivo de configuração global do Fluxbox reside em {{Filename|/usr/share/fluxbox}, enquanto o arquivo de configuração específico do usuário em Template:Filename. Os arquivos de usuário são:

  • init: arquivo principal de configuração de recursos. Ver Editando o arquivo init
  • menu: configuração de menu do fluxbox. Ver abaixo e em Editando o arquivo menu
  • keys: arquivo de atalhos de teclado(hotkeys) do fluxbox. Ver abaixo e aqui
  • startup: aplicações lançadas no iniciar, porém veja o .xinitrc e aqui
  • overlay: arqivo de configuração para sobrescreves elementos de estilos. Ver aqui
  • apps: arquivo de configuração para guardar configuração de janelas de aplicações especificas. Ver aqui
  • windowmenu: arquivo de configuração para alterar o próprio Window Menu: Leia-me

Alguns arquivos de menor importancia existem neste diretório. Porém os principais são init, menu, keys e talvez o startup.

Gerenciamento do menu

Na primeira instalação do fluxbox, uma lista básica de aplicativos será criado em ~/.fluxbox/menu. Você acessa o menu através do clique com o botão direito do mouse no desktop. Como qualquer outro gerenciador de janelas leve, o Fluxbox não atualiza o seu menu automaticamente ao instalar cada aplicativo novo. É recomendado que você instale a maioria dos aplicativos que deseja primeiro e então gere novamente ou edite o menu. Para aprimorar o menu e adicionar/editar itens, as quatro coisas básicas a se fazer são:

fluxbox-generate_menu

Existe um comando built-in com o fluxbox:

$ fluxbox-generate_menu

Este comando irá gerar automaticamente o Template:Filename, baseado em seus programas instalados. Porém, o menu gerado não será tão detalhado quanto um gerado pelo "menumaker" (imediatamente abaixo).

MenuMaker

MenuMaker é uma ferramenta poderosa que cria menus baseados em XML para uma variedade de gerenciadores de janela, incluindo o Fluxbox. O MenuMaker irá buscar em seu computador por programas executáveis e criará um menu baseado nos resultados. Pode ser configurado para excluir aplicações do X(legadas), GNOME, KDE ou Xfce se desejado.

Para instalar o MenuMaker:

# pacman -S menumaker

Uma vez instalado, um novo e completo menu pode ser gerado sobrescrevendo o padrão apenas executando:

$ mmaker -f FluxBox

Para verificar as opções do MenuMaker:

$ mmaker --help

Arch Linux Xdg menu

Requisito - XdgMenu disponível via pacman:

# pacman -S archlinux-xdg-menu

Para criar o menu do Fluxbox:

$ xdg_menu --fullmenu --format fluxbox --root-menu /etc/xdg/menus/arch-applications.menu >~/.fluxbox/menu

Informações adicionais:

$ xdg_menu --help

Editar/Criar manualmente o menu

Use seu editor de texto favorito e edite o arquivo: "~/.fluxbox/menu" . A sintaxe básica para um item de menu é:

[exec] (nome) {comando} <caminho para o ícone>

...onde "nome" é o texto que aparecerá no item do menu e "comando" é a localização do binário. ex:

[exec] (Navegador Firefox) {/usr/bin/firefox} <caminho para o ícone do Firefox>

Se você deseja um submenu:

[submenu] (Nome)
...
...
[end]

Quando terminado de editar o arqivo, salve. Não há necessidade de reiniciar o fluxbox. Para maiores informações, ver editando o menu do fluxbox.

Recursos Adicionais