GRUB (Português)

From ArchWiki
Revision as of 21:41, 20 October 2019 by Josephgbr (talk | contribs) (Update translation - sync with English article until October 20, 2019)
Jump to navigation Jump to search
Status de tradução: Esse artigo é uma tradução de GRUB. Data da última tradução: 2019-10-20. Você pode ajudar a sincronizar a tradução, se houver alterações na versão em inglês.

GRUB (GRand Unified Bootloader) é um gerenciador de multi-boot. É derivado do PUPA, que foi um projeto de pesquisa para desenvolver a substituição do que é agora conhecido como GRUB Legacy. Este último tornou-se muito difícil de manter e o GRUB foi reescrito do zero com o objetivo de fornecer modularidade e portabilidade [1]. O GRUB atual também é referido como GRUB 2, enquanto o GRUB Legacy corresponde às versões 0.9x.

Nota: Em todo este artigo esp denota o ponto de montagem da partição de sistema EFI, comumente abreviada como ESP.

Contents

Sistemas BIOS

Instruções específicas de Tabela de Partição GUID (GPT)

Em uma configuração de BIOS/GPT, é necessária uma partição de inicialização de BIOS. O GRUB incorpora seu core.img nessa partição.

Nota:
  • Antes de tentar este método, lembre-se de que nem todos os sistemas poderão ter suporte a este esquema de particionamento. Leia mais sobre Partitioning#GUID Partition Table.
  • A partição de inicialização de BIOS é necessária apenas pelo GRUB em uma configuração de BIOS/GPT. Em uma configuração de BIOS/MBR, o GRUB usa a lacuna pós-MBR para a incorporação do core.img. No GPT, no entanto, não há espaço não utilizado garantido antes da primeira partição.
  • Para sistemas UEFI, essa partição extra não é necessária, pois não há incorporação de setores de inicialização nesse caso. No entanto, os sistemas UEFI ainda requerem uma partição de sistema EFI.

Crie uma partição de mebibyte (+1M com fdisk ou gdisk) no disco sem sistema de arquivos e com o tipo de partição GUID 21686148-6449-6E6F-744E-656564454649.

  • Selecione o tipo de partição BIOS inicialização para fdisk.
  • Selecione o código de tipo de partição ef02 para gdisk.
  • Para o parted defina/ative a opção bios_grub a partição.

Esta partição pode estar em qualquer ordem de posição, mas deve estar nos primeiros 2 TiB do disco. Esta partição precisa ser criada antes da instalação do GRUB. Quando a partição estiver pronta, instale o gerenciador de boot conforme as instruções abaixo.

O espaço antes da primeira partição também pode ser usado como partição de inicialização de BIOS, embora esteja fora da especificação de alinhamento da GPT. Como a partição não será acessada regularmente, problemas de desempenho podem ser desconsiderados, embora alguns utilitários de disco exibam um aviso sobre isso. Em fdisk ou gdisk crie uma nova partição a partir do setor 34 e abrangendo até 2047 e defina o tipo. Para que as partições visualizáveis comecem na base, considere adicionar essa partição por último.

Instruções específicas de Master Boot Record (MBR)

Normalmente, o intervalo pós-MBR (após a região de 512 bytes MBR e antes do início da primeira partição) em muitos sistemas particionados MBR é de 31 KiB quando os problemas de alinhamento do cilindro de compatibilidade do DOS são atendidos na tabela de partições. No entanto, uma lacuna pós-MBR de cerca de 1 a 2 MiB é recomendada para fornecer espaço suficiente para incorporar o core.img do GRUB (FS#24103). É aconselhável usar uma ferramenta de particionamento que suporte alinhamento de partições de 1 MiB para obter este espaço, bem como para satisfazer outros problemas de setor não-512-byte (que não estão relacionados à incorporação de core.img).

Instalação

Instale o pacote grub. (Ele vai substituir o grub-legacyAUR se este ainda estiver instalado.) Então, execute:

# grub-install --target=i386-pc /dev/sdX

sendo /dev/sdX o disco no qual o GRUB deve ser instalado (por exemplo, o disco /dev/sda e não partição /dev/sda1).

Agora, você deve gerar o arquivo de configuração principal.

Se você usa LVM para seu /boot, você pode instalar o GRUB em vários discos físicos.

Dica: Veja GRUB/Tips and tricks#Alternative installation methods para outras formas de instalar o GRUB, tal como um pendrive USB.

Veja grub-install(8) e o manual do GRUB para mais detalhes no comando grub-install.

Sistemas UEFI

Nota:

Instalação

Nota:
  • Os firmwares da UEFI não são implementados de forma consistente entre os fabricantes. O procedimento descrito abaixo destina-se a funcionar em uma ampla variedade de sistemas UEFI, mas os que enfrentam problemas, apesar de aplicarem esse método, são encorajados a compartilhar informações detalhadas e, se possível, as soluções alternativas encontradas para o caso específico do hardware. Um artigo GRUB/Exemplos de EFI foi fornecido para esses casos.
  • A seção supõe que você esteja instalando o GRUB para sistemas x86_64. Para sistemas UEFI IA32 (32 bits) (não confundir com CPUs de 32 bits), substitua x86_64-efi por i386-efi onde apropriado.

Primeiro, instale os pacotes grub e efibootmgr: GRUB é o gerenciador de boot, enquanto efibootmgr é usado pelo script de instalação do GRUB para escrever entradas de inicialização para NVRAM.

Então, siga os seguintes passos para instalar o GRUB:

  1. Monte a partição de sistema EFI e, no restante da sessão, substitua esp com seu ponto de montagem.
  2. Escolha um identificador de gerenciador de boot, aqui chamado GRUB. Um diretório com esse nome será criado em esp/EFI/ para armazenar o binário EFI e esse é o nome que aparecerá no menu de inicialização UEFI para identificar a entrada de inicialização do GRUB.
  3. Execute o seguinte comando para instalar o aplicativo EFI do GRUB grubx64.efi em esp/EFI/GRUB/ e instalar seus módulos para /boot/grub/x86_64-efi/.
# grub-install --target=x86_64-efi --efi-directory=esp --bootloader-id=GRUB

Após a instalação acima, o diretório principal do GRUB está localizado em /boot/grub/. Note que o grub-install também tenta criar uma entrada no gerenciador de boot do firmware, chamado GRUB no exemplo acima.

Lembre-se de gerar o arquivo de configuração principal após finalizar a configuração.

Dica: Se você usar a opção --removable, o GRUB será instalado em esp/EFI/BOOT/BOOTX64.EFI (ou esp/EFI/BOOT/BOOTIA32.EFI para o alvo i386-efi e você terá a capacidade adicional de poder inicializar a partir da unidade caso as variáveis EFI sejam reiniciadas ou você mover a unidade para outro computador. Normalmente, você pode fazer isso selecionando a unidade em si de forma semelhante ao uso da BIOS. Se estiver usando dual boot com o Windows, esteja ciente de que o Windows geralmente coloca um executável EFI lá, mas sua única finalidade é recriar a entrada de inicialização do UEFI para o Windows.
Nota:
  • --efi-directory e --bootloader-id são específicos para UEFI do GRUB, --efi-directory substitui --root-directory que está obsoleto.
  • Você pode notar a ausência de uma opção caminho_dispositivo (por exemplo: /dev/sda) no comando grub-install. Na verdade, qualquer caminho_dispositivo fornecido será ignorado pelo script de instalação do GRUB UEFI. De fato, os gerenciadores de boot de UEFI não usam um código de inicialização da MBR ou um setor de inicialização de partição.
  • Certifique-se de executar o comando grub-install do sistema no qual o GRUB será instalado como o gerenciador de boot. Isso significa que se você estiver inicializando a partir do ambiente de instalação live, você precisa estar dentro do chroot quando estiver executando grub-install. Se por algum motivo for necessário executar grub-install de fora do sistema instalado, anexe a opção --boot-directory= com o caminho para o /boot, por exemplo, --boot-directory=/mnt/boot.

Veja a solução de problemas do UEFI caso tenha problemas. Além disso, veja GRUB/Tips and tricks#UEFI further reading.

Configuração

Em um sistema instalado, o GRUB carrega o arquivo de configuração /boot/grub/grub.cfg em cada inicialização. Você pode seguir #grub.cfg gerado para usar uma ferramenta ou #grub.cfg personalizado para uma criação manual.

grub.cfg gerado

Esta seção cobre apenas a edição do arquivo de configuração /etc/default/grub. Veja GRUB/Tips and tricks para mais informações.

Lembre-se de sempre gerar o arquivo de configuração principal após fazer de alterações para /etc/default/grub e/ou arquivos em /etc/grub.d/.

Gerar o arquivo de configuração principal

Após a instalação, o arquivo de configuração principal /boot/grub/grub.cfg precisa ser gerado. O processo de geração pode ser influenciado por uma variedade de opções em /etc/default/grub e scripts em /etc/grub.d/.

Se você não tiver feito configurações adicionais, a geração automática determinará o sistema de arquivos raiz do sistema para inicializar o arquivo de configuração. Para que isso seja bem sucedido, é importante que o sistema seja inicializado ou "chrooted".

Nota:
  • Lembre-se que /boot/grub/grub.cfg tem que se gerado novamente após qualquer alteração a /etc/default/grub ou arquivos em /etc/grub.d/.
  • O caminho do arquivo padrão é /boot/grub/grub.cfg, não /boot/grub/i386-pc/grub.cfg.
  • Se você está tentando executar o grub-mkconfig em um chroot ou em um contêiner systemd-nspawn, você pode notar que ele não funciona, reclamando que grub-probe não consegue "obter o arquivo de configuração a partir de /dev/sdaX". Neste caso, tente usar arch-chroot como descrito nesta publicação no BBS.
  • Se você estiver instalando o GRUB no ambiente chroot usando o LVM e o grub-mkconfig travar indefinidamente, consulte #Device /dev/xxx not initialized in udev database even after waiting 10000000 microseconds.

Use a ferramenta grub-mkconfig para gerar /boot/grub/grub.cfg:

# grub-mkconfig -o /boot/grub/grub.cfg

Por padrão, os scripts de geração adicionam automaticamente entradas de menu para todos os kernels do Arch Linux instalados na configuração gerada.

Dica:

Para adicionar automaticamente entradas para outros sistemas operacionais instalados, consulte #Detectando outros sistemas operacionais.

Você pode adicionar entradas adicionais ao menu editando /etc/grub.d/40_custom e regerando /boot/grub/grub.cfg. Ou você pode criar /boot/grub/custom.cfg e adicioná-las lá. Alterações no /boot/grub/custom.cfg não requerem reexecução do grub-mkconfig, já que /etc/grub.d/41_custom adiciona a declaração source para o arquivo de configuração gerado.

Dica: /etc/grub.d/40_custom pode ser usado como um modelo para criar /etc/grub.d/nn_custom, sendo que nn define a precedência, indicando a ordem em que o script é executado. Os scripts de ordem são executados e determinam o posicionamento no menu de inicialização do GRUB. nn deve ser maior que 06 para garantir que os scripts necessários sejam executados primeiro.

Veja #Exemplos de entrada de menu de boot para mais exemplos de entradas de menu personalizadas.

Detectando outros sistemas operacionais

Para fazer com que o grub-mkconfig procure por outros sistemas instalados e adicioná-los automaticamente ao menu, instale o pacote os-prober e monte as partições que contêm as outras sistemas. Então, execute novamente o grub-mkconfig.

MS Windows

Frequentemente, as partições contendo o Windows serão descobertas automaticamente pelo os-prober. No entanto, as partições NTFS nem sempre podem ser detectadas quando montadas com os drivers Linux padrão. Se o GRUB não estiver detectando-a, tente instalar o ntfs-3g e remontá-la.

Partições encriptadas do Windows podem precisar ser descriptografadas antes da montagem. Para o BitLocker, isso pode ser feito com dislockerAUR. Isso deve ser suficiente para o os-prober adicionar a entrada correta.

Argumentos adicionais

Para passar argumentos adicionais personalizados para a imagem do Linux, você pode definir as variáveis GRUB_CMDLINE_LINUX e GRUB_CMDLINE_LINUX_DEFAULT em /etc/default/grub. As duas são anexadas uma à outra e passadas ao kernel ao gerar entradas de inicialização comuns. Para a entrada de inicialização de recuperação, apenas GRUB_CMDLINE_LINUX é usado na geração.

Não é necessário usar ambos, mas pode ser útil. Por exemplo, você poderia usar GRUB_CMDLINE_LINUX_DEFAULT="resume=UUID=uuid-da-partição-swap quiet", sendo uuid-da-partição-swap o UUID da sua partição swap para permitir a continuação após hibernação. Isso geraria uma entrada de inicialização de recuperação sem o resumo e sem quiet para suprimir mensagens do kernel durante uma inicialização a partir dessa entrada de menu. Porém, as outras entradas de menu (comuns) os teriam como opções.

Por padrão, o grub-mkconfig determina o UUID do sistema de arquivos raiz para a configuração. Para desabilitar isso, descomente GRUB_DISABLE_LINUX_UUID=true.

Para gerar a entrada de recuperação do GRUB, você precisa garantir que GRUB_DISABLE_RECOVERY não esteja definido como true em /etc/default/grub.

Veja Parâmetros do kernel para mais informações.

LVM

Atenção: O GRUB não possui suporte a volumes lógicos thin-provisioned.

Se você usa LVM para sua partição /boot ou /, certifique-se de que o módulo lvm esteja pré-carregado:

/etc/default/grub
GRUB_PRELOAD_MODULES="... lvm"

RAID

O GRUB fornece um manuseio conveniente de volumes RAID. Você precisa carregar os módulos GRUB mdraid09 ou mdraid1x para permitir que você aborde o volume nativamente:

/etc/default/grub
GRUB_PRELOAD_MODULES="... mdraid09 mdraid1x"

Por exemplo, /dev/md0 se torna:

set root=(md/0)

sendo que um volume RAID particionado (p.ex., /dev/md0p1) se torna:

set root=(md/0,1)

Para instalar o grub ao usar o RAID1 como partição /boot (ou usando /boot alojado em uma partição raiz RAID1), nos sistemas BIOS, simplesmente execute o grub-install em ambas as unidades, como:

# grub-install --target=i386-pc --debug /dev/sda
# grub-install --target=i386-pc --debug /dev/sdb

sendo que o vetor RAID 1 contendo /boot está contido em ambos /dev/sda e /dev/sdb.

Nota: GRUB possui suporte a inicializar de RAID 0/1/10 com Btrfs, mas não RAID 5/6. Você pode usar mdadm para RAID 5/6, o qual possui suporte no GRUB.

/boot criptografado

O GRUB também tem suporte especial para inicializar com um /boot criptografado. Isto é feito desbloqueando um dispositivo de bloco LUKS para ler sua configuração e carregar qualquer initramfs e kernel dele. Esta opção tenta resolver o problema de ter uma partição de inicialização não criptografada.

Nota: /boot não precisa obrigatoriamente ser mantido em uma partição separada; ele também pode ficar sob a árvore de diretórios / da raiz do sistema.
Atenção: O GRUB não possui suporte a cabeçalhos LUKS2; veja bug #55093 do GRUB. Certifique-se de especificar --type luks1 ao criar a partição criptografada usando cryptsetup luksFormat.

Para ativar este recurso, criptografe a partição com /boot que reside nela usando LUKS normalmente. Em seguida, adicione a seguinte opção para /etc/default/grub:

/etc/default/grub
GRUB_ENABLE_CRYPTODISK=y

Esta opção é usada pelo grub-install para gerar o grub core.img, então certifique-se de instalar o grub depois de modificar esta opção.

Sem mais alterações, você será solicitado duas vezes a informar um código de acesso: o primeiro para o GRUB desbloquear o ponto de montagem /boot na incialização, o segundo para desbloquear o sistema de arquivos raiz como implementado pelo initramfs. Você pode usar um initramfs para evitar isso.

Atenção:
  • Se você quiser gerar o arquivo de configuração principal, certifique-se de que /boot esteja montado.
  • Para realizar atualizações do sistema envolvendo o ponto de montagem /boot, certifique-se de que o /boot criptografado esteja desbloqueado e montado antes de executar uma atualização. Com uma partição /boot separada, isso pode ser feito automaticamente na inicialização usando crypttab com um arquivo chave.
Nota:
  • Se você usar um mapa de teclado especial, uma instalação padrão do GRUB não o saberá. Isso é relevante para saber como inserir a frase secreta para desbloquear o dispositivo de bloco LUKS.
  • Se você tiver problemas para obter a solicitação de uma senha (erros relacionados a cryptouuid, cryptodisk ou "dispositivo não encontrado"), tente reinstalar o GRUB e acrescentar --modules="part_gpt part_msdos" ao final do seu comando grub-install.
Dica: Você pode usar hooks do pacman para montar automaticamente o seu /boot quando as atualizações precisarem acessar arquivos relacionados.

grub.cfg personalizado

Esta seção descreve a criação manual de entradas de inicialização do GRUB em /boot/grub/grub.cfg em vez de confiar em grub-mkconfig.

Um arquivo de configuração básico do GRUB usa as seguintes opções:

  • (hdX,Y) é a partição Y no disco X, números de partição iniciando em 1, números de disco iniciando em 0
  • set default=N é a entrada de inicialização padrão que é escolhida após atingido um tempo limite para ação do usuário
  • set timeout=M é o tempo M para aguardar em segundos para uma seleção de usuário antes da padrão ser inicializada
  • menuentry "título" {opções desta entrada} é uma entrada padrão chamada título
  • set root=(hdX,Y) define a partição de inicialização, onde os módulos de kernel e GRUB estão armazenados (o boot não precisa estar em uma partição separada e pode simplesmente ser um diretório sob a partição "root" (/)

Exemplos de entrada de menu de boot

Dica: Essas entradas de inicialização também podem ser usadas ao usar um /boot/grub/grub.cfg gerado pelo "grub-mkconfig". Adicione-os a /etc/grub.d/40_custom e gere novamente o arquivo de configuração principal ou adicione-os a /boot/grub/custom.cfg.

Para obter dicas sobre o gerenciamento de várias entradas do GRUB, por exemplo, ao usar os kernels linux e linux-lts, consulte GRUB/Tips and tricks#Multiple entries.

Para entradas de menu de inicialização de Archiso e Archboot, veja Multiboot USB drive#Boot entries.

Comandos do GRUB
Entrada de menu "Desligar"
menuentry "Desligamento do sistema" {
	echo "Desligando o sistema..."
	halt
}
Entrada de menu "Reiniciar"
menuentry "Reinicialização do sistema" {
	echo "Reinicializando o sistema..."
	reboot
}
Entrada de menu "Configuração do firmware" (UEFI apenas)
if [ ${grub_platform} == "efi" ]; then
	menuentry "Configuração do firmware" {
		fwsetup
	}
fi
Binarios de EFI

Ao iniciar o modo UEFI, o GRUB pode carregar outros binários EFI.

Dica: Para mostrar essas entradas de menu somente quando o GRUB é iniciado no modo UEFI, coloque-as na seguinte instrução if:
if [ ${grub_platform} == "efi" ]; then
	coloque apenas entradas de menu UEFI aqui
fi
Shell de UEFI

Você pode iniciar o UEFI Shell colocando-a na raiz da partição de sistema EFI e adicionando esta entrada de menu:

menuentry "UEFI Shell" {
	insmod fat
	insmod chain
	search --no-floppy --set=root --file /shellx64.efi
	chainloader /shellx64.efi
}
gdisk

Baixe o aplicativo EFI gdisk e copie gdisk_x64.efi para esp/EFI/tools/.

menuentry "gdisk" {
	insmod fat
	insmod chain
	search --no-floppy --set=root --file /EFI/tools/gdisk_x64.efi
	chainloader /EFI/tools/gdisk_x64.efi
}
Carregando um arquivo .efi do Arch Linux

Se você tiver um arquivo .efi gerado a partir de Secure Boot ou outro meio, você pode adicioná-lo ao menu de inicialização. Por exemplo:

menuentry "Arch Linux .efi" {
	insmod fat
	insmod chain
	search --no-floppy --set=root --fs-uuid UUID_SISTEMA_DE_ARQUIVOS
	chainloader /EFI/arch/vmlinuz.efi
}
Dual boot
GNU/Linux

Presumindo que outra distribuição esteja na partição sda2:

menuentry "Outro Linux" {
	set root=(hd0,2)
	linux /boot/vmlinuz (adicione outras opções aqui conforme necessário)
	initrd /boot/initrd.img (se outro kernel usa/precisa de um)
}

Alternativamente, permita o GRUB pesquisar a partição correta pelo UUID ou label:

menuentry "Outro Linux" {
        # presumindo que o UUID seja 763A-9CB6
	search --no-floppy --set=root --fs-uuid 763A-9CB6

        # pesquise pelo rótulo OUTRO_LINUX (certifique-se que o rótulo da partição não seja ambígua)
        #search --no-floppy --set=root --label OUTRO_LINUX

	linux /boot/vmlinuz (adicione aqui outras opções necessárias, por exemplo: root=UUID=763A-9CB6)
	initrd /boot/initrd.img (se outro kernel usa/precisa de um)
}
Windows instalado em modo UEFI/GPT

Este modo determina onde o carregador de boot do Windows reside e carrega-o após o GRUB quando a entrada do menu é selecionada. A principal tarefa aqui é encontrar a partição do sistema EFI e executar o carregador de boot a partir dela.

Nota: Este entrada de menu funcionará apenas no modo de inicialização UEFI e somente se o bitness do Windows corresponder ao bitstream do UEFI. Não funcionará no GRUB instalado na BIOS. Veja Dual boot with Windows#Windows UEFI vs BIOS limitations e Dual boot with Windows#Bootloader UEFI vs BIOS limitations para mais informações.
if [ "${grub_platform}" == "efi" ]; then
	menuentry "Microsoft Windows Vista/7/8/8.1 UEFI/GPT" {
		insmod part_gpt
		insmod fat
		insmod chain
		search --no-floppy --fs-uuid --set=root $hints_string $fs_uuid
		chainloader /EFI/Microsoft/Boot/bootmgfw.efi
	}
fi

sendo que $hints_string e $fs_uuid são obtidas com os dois comandos abaixo.

O comando $fs_uuid determina o UUID da partição de sistema EFI:

# grub-probe --target=fs_uuid esp/EFI/Microsoft/Boot/bootmgfw.efi
1ce5-7f28

Como alternativa, é possível executar blkid (como root) e ler o UUID da partição do sistema EFI a partir dele.

O comando $hints_string determinará a localização da partição do sistema EFI, neste caso o disco rígido 0:

# grub-probe --target=hints_string esp/EFI/Microsoft/Boot/bootmgfw.efi
--hint-bios=hd0,gpt1 --hint-efi=hd0,gpt1 --hint-baremetal=ahci0,gpt1

Estes dois comandos presumem o uso da ESP do Windows montada em esp. Pode haver diferenças entre maiúsculas e minúsculas no caminho para o arquivo EFI do Windows, com o Windows e tudo mais.

Windows instalado em modo BIOS/MBR
Nota: O GRUB possui suporte a inicializar bootmgr diretamente e fazer carregamento em cadeia (chainloading) do setor de inicialização da partição não é mais necessário para inicializar Windows em uma configuração de BIOS/MBR.
Atenção: É a partição do sistema que tem /bootmgr, não sua partição Windows "real" (geralmente C:). O rótulo do sistema de arquivos da partição do sistema é Sistema Reservado ou SISTEMA e a partição tem por volta de 100 para 549 MiB em tamanho. Veja Wikipedia:System partition and boot partition para mais informações.

Ao longo desta seção, presume-se que sua partição do Windows é /dev/sda1. Uma partição diferente mudará todas as instâncias de hd0,msdos1.

Nota: Este entrada de menu funcionará apenas no modo de inicialização BIOS. Não funcionará no GRUB instalado na UEFI. Veja Dual boot with Windows#Windows UEFI vs BIOS limitations e Dual boot with Windows#Bootloader UEFI vs BIOS limitations .

Em ambos exemplos XXXXXXXXXXXXXXXX é o UUID do sistema de arquivos que pode ser encontrado com o comando lsblk --fs.

Para Windows Vista/7/8/8.1/10:

if [ "${grub_platform}" == "pc" ]; then
	menuentry "Microsoft Windows Vista/7/8/8.1/10 BIOS/MBR" {
		insmod part_msdos
		insmod ntfs
		insmod ntldr
		search --no-floppy --fs-uuid --set=root --hint-bios=hd0,msdos1 --hint-efi=hd0,msdos1 --hint-baremetal=ahci0,msdos1 XXXXXXXXXXXXXXXX
		ntldr /bootmgr
	}
fi

Para Windows XP:

if [ "${grub_platform}" == "pc" ]; then
	menuentry "Microsoft Windows XP" {
		insmod part_msdos
		insmod ntfs
		insmod ntldr     
		search --no-floppy --fs-uuid --set=root --hint-bios=hd0,msdos1 --hint-efi=hd0,msdos1 --hint-baremetal=ahci0,msdos1 XXXXXXXXXXXXXXXX
		ntldr /ntldr
	}
fi
Nota: Em alguns casos, o GRUB pode ser instalado sem um Windows 8 limpo, caso em que você não consegue inicializar o Windows sem ter um erro com \boot\bcd (código de erro 0xc000000f). Você pode consertá-lo indo até o Console de Recuperação do Windows (cmd.exe do disco de instalação) e executando:
X:\> bootrec.exe /fixboot
X:\> bootrec.exe /RebuildBcd

Não use bootrec.exe /Fixmbr porque ele apagará o GRUB. Ou você pode usar a função "Reparo de inicialização" no menu "Solução de problemas" - isso não eliminará o GRUB, mas consertará a maioria dos erros. Além disso, é melhor você ficar conectado tanto no disco rígido de destino quanto no dispositivo inicializável SOMENTE. O Windows geralmente não conserta as informações de inicialização se algum outro dispositivo estiver conectado.

Usando o shell de comandos

Como o MBR é muito pequeno para armazenar todos os módulos do GRUB, apenas o menu e alguns comandos básicos residem nele. A maior parte da funcionalidade do GRUB permanece nos módulos em /boot/grub/, que são inseridos conforme necessário. Em condições de erro (por exemplo, se o layout da partição for alterado), o GRUB poderá falhar na inicialização. Quando isso acontece, um shell de comando pode aparecer.

O GRUB oferece vários shells/prompts. Se houver um problema ao ler o menu, mas o gerenciador de inicialização conseguir localizar o disco, você provavelmente será descartado no shell "normal":

grub>

Se houver um problema mais sério (por exemplo, o GRUB não conseguir localizar os arquivos necessários), você poderá ser direcionado para o shell "rescue":

grub rescue>

O shell de recuperação é um subconjunto restrito do shell normal, oferecendo muito menos funcionalidade. Se for jogado no shell de recuperação, primeiro tente inserir o módulo "normal" e, em seguida, inicie o shell "normal":

grub rescue> set prefix=(hdX,Y)/boot/grub
grub rescue> insmod (hdX,Y)/boot/grub/i386-pc/normal.mod
rescue:grub> normal

Suporte a paginador

O GRUB possui suporte a paginador para ler comandos que fornecem saída longa (como o comando help). Isso funciona apenas no modo shell normal e não no modo de recuperação. Para digitar o paginador, digite no shell de comando do GRUB:

sh:grub> set pager=1

Usando o ambiente shell de comandos para iniciar sistemas operacionais

grub>

O ambiente de shell de comando do GRUB pode ser usado para inicializar sistemas operacionais. Um cenário comum pode ser inicializar o Windows/Linux armazenado em uma unidade/partição via carregamento em cadeia (chainloading).

Chainloading significa carregar outro carregador de boot a partir do atual, isto é, carregamento em cadeia.

O outro gerenciador de boot pode ser incorporado no início de um disco particionado (MBR), no início de uma partição ou em um disco sem partição (VBR) ou como um binário EFI no caso de UEFI.

Carregando o VBR de uma partição

set root=(hdX,Y)
chainloader +1
boot

X=0,1,2... Y=1,2,3...

Por exemplo, para carregar o Windows armazenado na primeira partição do primeiro disco rígido,

set root=(hd0,1)
chainloader +1
boot

Da mesma forma, o GRUB instalado em uma partição pode ser carregado em cadeia.

Carregando o MBR de um disco ou o VBR de um disco sem partição

set root=hdX
chainloader +1
boot

Carregando Windows/Linux instalado em modo UEFI

insmod fat
set root=(hd0,gpt4)
chainloader (${root})/EFI/Microsoft/Boot/bootmgfw.efi
boot

insmod fat é usado para carregar o módulo do sistema de arquivos FAT para acessar o gerenciador de boot do Windows na partição do sistema EFI. (hd0,gpt4) ou /dev/sda4 é a partição do sistema EFI neste exemplo. A entrada na linha chainloader especifica o caminho do arquivo .efi a ser carregado em cadeia.

Carregamento normal

Veja os exemplos em #Usando o console de recuperação

Usando o console de recuperação

Veja #Usando o shell de comandos primeiro. Se não for possível ativar o shell padrão, uma solução possível é inicializar usando um live CD ou algum outro disco de recuperação para corrigir erros de configuração e reinstalar o GRUB. No entanto, esse disco de inicialização nem sempre está disponível (nem necessário); o console de recuperação é surpreendentemente robusto.

Os comandos disponíveis na recuperação do GRUB incluem insmod, ls, set e unset. Este exemplo usa set e insmod. set modifica variáveis e insmod insere novos módulos para adicionar funcionalidade.

Antes de iniciar, o usuário deve saber a localização de sua partição /boot (seja uma partição separada ou um subdiretório sob sua raiz):

grub rescue> set prefix=(hdX,Y)/boot/grub

sendo X o número da unidade física e Y o número da partição.

Nota: Com uma partição de inicialização separada, omita /boot do caminho (por exemplo, digite set prefix=(hdX,Y)/grub).

Para expandir as capacidades do console, insira o módulo linux:

grub rescue> insmod i386-pc/linux.mod

ou simplesmente

grub rescue> insmod linux

Isso introduz os comandos linux e initrd, que devem ser familiares.

Um exemplo, inicializando o Arch Linux:

set root=(hd0,5)
linux /boot/vmlinuz-linux root=/dev/sda5
initrd /boot/initramfs-linux.img
boot

Com uma partição de inicialização separada (por exemplo, ao usar UEFI), altere as linhas novamente:

Note: Como a inicialização é uma partição separada e não faz parte da sua partição raiz, você deve endereçar a partição de inicialização manualmente, da mesma maneira que a variável de prefixo.
set root=(hd0,5)
linux (hdX,Y)/vmlinuz-linux root=/dev/sda6
initrd (hdX,Y)/initramfs-linux.img
boot
Nota: Se você obteve a mensagem o error: fim prematuro do arquivo /NOME_DO_SEU_KERNEL durante a execução do comando linux, você pode tentar linux16.

Após inicializar com êxito a instalação do Arch Linux, os usuários podem corrigir o grub.cfg conforme necessário e reinstalar o GRUB.

Para reinstalar o GRUB e corrigir o problema completamente, altere /dev/sda, se necessário. Veja #Instalação para detalhes.

Remoção do GRUB

Após migrar para o GPT/UEFI, pode-se querer remover o código de inicialização de MBR usando dd:

# dd if=/dev/zero of=/dev/sdX bs=440 count=1

Solução de problemas

F2FS e outros sistemas de arquivos sem suporte

O GRUB não possui suporte ao sistema de arquivos F2FS. Caso a partição raiz esteja em um sistema de arquivos incompatível, uma partição alternativa /boot com um sistema de arquivos compatível deve ser criada. Em alguns casos, a versão de desenvolvimento do GRUB grub-gitAUR pode ter suporte nativo para o sistema de arquivos.

Se o GRUB é usado com um sistema de arquivos incompatível, ele não é capaz de extrair o UUID da sua unidade, então ele usa nomes clássicos não-persistentes /dev/sdXx. Nesse caso, você pode ter que editar manualmente /boot/grub/grub.cfg e substituir root=/dev/sdXx com root=UUID=XXXXXXXX-XXXX-XXXX-XXXX-XXXXXXXXXXXX. Você pode usar o comando blkid para obter o UUID do seu dispositivo, consulte Persistent block device naming.

BIOS da Intel não está inicialização GPT

Alguns BIOS da Intel exigem que pelo menos uma partição MBR inicializável esteja presente na inicialização, fazendo com que as configurações de inicialização particionadas por GPT não sejam iniciadas.

Isto pode ser contornado usando, por exemplo, fdisk para marcar uma das partições GPT (preferencialmente a partição 1007 KiB que você criou para o GRUB já) inicializável no MBR. Isto pode ser conseguido, usando fdisk, pelos seguintes comandos: Inicie o fdisk no disco que você está instalando, por exemplo fdisk/dev/sda, então pressione a e selecione a partição que você Para marcar como inicializável (provavelmente #1) pressionando o número correspondente, finalmente pressione w para escrever as alterações no MBR.

Nota: A marcação inicializável deve ser feita em fdisk ou similar, não no GParted ou em outros, pois eles não configurarão o sinalizador de inicialização no MBR.

Com o cfdisk, as etapas são semelhantes, apenas cfdisk/dev/sda, escolha inicializável (à esquerda) no disco rígido desejado e saia do salvamento.

Com a versão recente do parted, você pode usar a opção disk_toggle pmbr_boot. Em seguida, verifique se as "Opções de disco" mostram pmbr_boot.

# parted /dev/sdx disk_toggle pmbr_boot
# parted /dev/sdx print

Mais informações estão disponíveis aqui.

Habilitar mensagens de depuração

Nota: Essas mudanças são sobrescritas ao #Gerar o arquivo de configuração principal.

Adicionar:

set pager=1
set debug=all

para grub.cfg.

Erro "No suitable mode found"

Se você receber este erro ao inicializar qualquer entrada de menu:

error: no suitable mode found
Booting however

Então, você precisa inicializar o terminal gráfico do GRUB (gfxterm) com o modo de vídeo apropriado (gfxmode) no GRUB. Este modo de vídeo é passado pelo GRUB para o kernel do Linux via "gfxpayload". No caso de sistemas UEFI, se o modo de vídeo GRUB não for inicializado, nenhuma mensagem de inicialização do kernel será mostrada no terminal (pelo menos até o KMS entrar em ação).

Copie /usr/share/grub/unicode.pf2 para ${GRUB_PREFIX_DIR (/boot/grub/ no caso de sistemas BIOS e UEFI). Se GRUB UEFI foi instalado com --boot-directory=esp/EFI definido, então o diretório é esp/EFI/grub/:

# cp /usr/share/grub/unicode.pf2 ${GRUB_PREFIX_DIR}

Se /usr/share/grub/unicode.pf2 não existe, instale bdf-unifont, crie o arquivo unifont.pf2 e, então, copie-o para ${GRUB_PREFIX_DIR}:

# grub-mkfont -o unicode.pf2 /usr/share/fonts/misc/unifont.bdf

Em seguida, no arquivo grub.cfg, adicione as seguintes linhas para permitir que o GRUB passe o modo de vídeo corretamente para o kernel, sem o qual você só obterá uma tela preta (sem saída), mas reiniciando prossegue com sucesso sem nenhum travamento do sistema.

Depois disso, adicione o seguinte código (comum ao BIOS e ao UEFI):

loadfont "unicode"
set gfxmode=auto
set gfxpayload=keep
insmod all_video
insmod gfxterm
terminal_output gfxterm

Mensagem de erro sobre estilo msdos

grub-setup: warn: Este rótulo de partição estilo msdos não tem espaço vago pós-MBR; não será possível embuti-lo!
grub-setup: warn: Incorporação não permitida. O GRUB só pode ser instalado neste setup usando blocklists.
            Porém. blocklists são INSTÁVEIS e seu uso não é aconselhado.
grub-setup: error: If you really want blocklists, use --force.

Este erro pode ocorrer quando você tenta instalar o GRUB em um contêiner VMware. Leia mais sobre isso aqui. Isso acontece quando a primeira partição começa logo após o MBR (bloco 63), sem o espaço usual de 1 MiB (2048 blocos) antes da primeira partição. Leia #Instruções específicas de Master Boot Record (MBR).

UEFI

Erros comuns de instalação

  • Se você tiver um problema ao executar o grub-install com sysfs ou procfs e ele disser que você deve executar modprobe efivarfs, tente Unified Extensible Firmware Interface#Mount efivarfs.
  • Sem a opção --target ou --directory, o grub-install não pode determinar qual firmware deve ser instalado. Em tais casos, grub-install irá imprimir source_dir não existe. Por favor, especifique --target ou --diretório.
  • Se, depois de executar o grub-install, for informado que sua partição não se parece com uma partição EFI, a partição provavelmente não é Fat32.

Descartar o shell de recuperação

Se o GRUB for carregado, mas cair no shell de recuperação sem erros, pode ser devido a um destes dois motivos:

  • Pode ser por causa de um grub.cfg ausente ou extraviado. Isso acontecerá se o UEFI do GRUB tiver sido instalado com --boot-directory e grub.cfg estiver faltando,
  • Isso também acontece se a partição de inicialização, que é codificada no arquivo grubx64.efi, for alterada.

UEFI do GRUB não carregado

Um exemplo de um UEFI funcional:

# efibootmgr -v
BootCurrent: 0000
Timeout: 3 seconds
BootOrder: 0000,0001,0002
Boot0000* GRUB HD(1,800,32000,23532fbb-1bfa-4e46-851a-b494bfe9478c)File(\EFI\GRUB\grubx64.efi)
Boot0001* Shell HD(1,800,32000,23532fbb-1bfa-4e46-851a-b494bfe9478c)File(\shellx64.efi)
Boot0002* Festplatte BIOS(2,0,00)P0: SAMSUNG HD204UI

Se a tela ficar preta por um segundo e a próxima opção de inicialização for tentada posteriormente, de acordo com esta publicação, mova o GRUB para a raiz da partição pode ajudar. A opção de inicialização deve ser excluída e recriada posteriormente. A entrada para o GRUB deve ficar assim:

Boot0000* GRUB HD(1,800,32000,23532fbb-1bfa-4e46-851a-b494bfe9478c)File(\grubx64.efi)

Caminho de inicialização padrão/reserva

Alguns firmwares UEFI exigem um arquivo inicializável em um local conhecido antes de mostrar as entradas de inicialização da UEFI NVRAM. Se este for o caso, grub-install irá reivindicar que efibootmgr adicionou uma entrada para inicializar o GRUB, no entanto a entrada não será mostrada no seletor de ordem de inicialização do VisualBIOS. A solução é instalar o GRUB no caminho de inicialização padrão/reserva:

# grub-install --target=x86_64-efi --efi-directory=esp --removable

Alternativamente, você pode mover um executável do GRUB EFI já instalado para o caminho padrão/reserva:

# mv esp/EFI/grub esp/EFI/BOOT
# mv esp/EFI/BOOT/grubx64.efi esp/EFI/BOOT/BOOTX64.EFI

Assinatura inválida

Se tentar inicializar o Windows, resulta em um erro de "assinatura inválida", por exemplo, depois de reconfigurar partições ou adicionar discos rígidos adicionais, (re)mova a configuração do dispositivo do GRUB e reconfigure:

# mv /boot/grub/device.map /boot/grub/device.map-old
# grub-mkconfig -o /boot/grub/grub.cfg

grub-mkconfig agora deve mencionar todas as opções de inicialização encontradas, incluindo o Windows. Se funcionar, remova /boot/grub/device.map-old.

Inicialização congelando

Se a inicialização for travada sem nenhuma mensagem de erro após o GRUB carregar o kernel e o disco em memória inicial, tente remover o parâmetro do kernel add_efi_memmap.

Arch não encontrado por outros sistemas operacionais

Algumas pessoas relataram que outras distribuições podem ter problemas para encontrar o Arch Linux automaticamente com os-prober. Se esse problema ocorrer, foi relatado que a detecção pode ser melhorada com a presença de /etc/lsb-release. Esta ferramenta de arquivo e atualização está disponível com o pacote lsb-release.

Aviso ao instalar em chroot

Ao instalar o GRUB em um sistema LVM em um ambiente chroot (por exemplo, durante a instalação do sistema), você pode receber avisos como

/run/lvm/lvmetad.socket: connect failed: No such file or directory

ou

WARNING: failed to connect to lvmetad: No such file or directory. Falling back to internal scanning.

Isto é porque /run não está disponível dentro do chroot. Esses avisos não impedem o sistema de inicializar, desde que tudo tenha sido feito corretamente, assim você pode continuar com a instalação.

GRUB carrega lentamente

O GRUB pode levar muito tempo para carregar quando o espaço em disco está baixo. Verifique se você tem espaço livre em disco suficiente em sua partição /boot ou / quando tiver problemas.

erro: sistema de arquivos desconhecido

O GRUB pode emitir erro: sistema de arquivos desconhecido e se recusar a inicializar por alguns motivos. Se você tem certeza de que todos os UUIDs estão corretos e todos os sistemas de arquivos são válidos e compatíveis, pode ser que sua partição de inicialização de BIOS esteja localizada fora dos primeiros 2 TiB da unidade [2]. Use uma ferramenta de particionamento de sua escolha para garantir que essa partição esteja totalmente localizada nos primeiros 2 TiB, depois reinstale e reconfigure o GRUB.

Esse erro também pode ser causado por um sistema de arquivos ext4 com os recursos large_dir ou metadata_csum_seed definidos.

grub-reboot não está redefinido

O GRUB parece não conseguir gravar em partições BTRFS de raiz [3]. Se você usar o grub-reboot para inicializar em outra entrada, será incapaz de atualizar seu ambiente em disco. Execute o grub-reboot a partir da outra entrada (por exemplo, ao alternar entre várias distribuições) ou considere um sistema de arquivos diferente. Você pode redefinir uma entrada "sticky" executando grub-editenv create e configurando GRUB_DEFAULT=0 no /etc/default/grub (não esqueça grub-mkconfig -o /boot/grub/grub.cfg).

BTRFS antigo impede a instalação

Se uma unidade estiver formatada com o BTRFS sem criar uma tabela de partição (por exemplo, /dev/sdx), mais tarde será gravada a tabela de partições, existindo partes do formato BTRFS que persistem. A maioria dos utilitários e sistemas operacionais não vê isso, mas o GRUB se recusará a instalar, mesmo com --force.

# grub-install: warning: Attempting to install GRUB to a disk with multiple partition labels. This is not supported yet.
# grub-install: error: filesystem `btrfs' does not support blocklists.

Você pode zerar a unidade, mas a solução fácil que deixa seus dados sozinhos é apagar o superbloco BTRFS com wipefs -o 0x10040 /dev/sdx.

Windows 8/10 não encontrado

Uma configuração no Windows 8/10 chamada "Hiberboot", "Hybrid Boot" or "Fast Boot" (inicialização rápida pode impedir que a partição do Windows seja montada, portanto, o grub-mkconfig não localizará uma instalação do Windows. Desativar o Hiberboot no Windows permitirá que ele seja adicionado ao menu GRUB.

Modo EFI no VirtualBox

Instal o GRUB para o caminho de inicialização padrão/reserva.

Veja também VirtualBox (Português)#Instalação no modo EFI.

Device /dev/xxx not initialized in udev database even after waiting 10000000 microseconds

Se o grub-mkconfig travar e exibir a mensagem de erro: WARNING: Device /dev/xxx not initialized in udev database even after waiting 10000000 microseconds, você pode precisar fornecer o acesso a /run/lvm/ para o ambiente de chroot usando:

# mkdir /mnt/hostlvm
# mount --bind /run/lvm /mnt/hostlvm
# arch-chroot /mnt
# ln -s /hostlvm /run/lvm

Veja o FS#61040 e solução de contorno.

Recuperação do GRUB e /boot criptografado

Ao usar um /boot criptografado e você não conseguir inserir uma senha correta, você será jogado no prompt de recuperação do GRUB.

Este prompt de recuperação do grub tem capacidades limitadas. Use os seguintes comandos para completar a inicialização:

grub rescue> cryptomount <partição>
grub rescue> insmod normal
grub rescue> normal

Veja esta publicação de blog para uma descrição melhor.

Veja também