Install from existing Linux (Português)

From ArchWiki
Jump to: navigation, search

Este documento descreve o processo de inicialização necessário para instalar o Arch Linux a partir de um sistema host Linux em execução. Após o bootstrapping, a instalação prossegue conforme descrito no guia de instalação.

Instalar o Arch Linux de um Linux existente é útil para:

O objetivo do procedimento de inicialização é configurar um ambiente a partir do qual os scripts do arch-install-scripts (como o pacstrap e arch-chroot) podem ser executados.

Se o sistema hospedeiro funciona no Arch Linux, isso pode ser conseguido simplesmente instalando arch-install-scripts. Se o sistema hospedeiro executar outra distribuição Linux, primeiro você precisará configurar um chroot baseado no Arch Linux.

Nota: Este guia exige que o sistema hospedeiro existente seja capaz de executar os novos programas de arquitetura do Arch Linux alvo. Isso significa que tem que ser uma máquina x86_64.
Atenção: Certifique-se de compreender cada passo antes de prosseguir. É fácil destruir seu sistema ou perder dados críticos, e seu provedor de serviços provavelmente cobrará muito para ajudá-lo a recuperar.

Backup e preparação

Faça backup de todos os seus dados, incluindo correios, servidores web, etc. Tenha todas as informações ao seu alcance. Preserve todas as configurações do seu servidor, hsotnames, etc.

Aqui está uma lista de dados que você provavelmente precisará:

  • Endereço IP
  • hostname(s), (nota: servidores raiz são principalmente também parte do domínio dos provedores, verifique ou salve seu /etc/hosts antes de excluir)
  • Servidor DNS (verifique /etc/resolv.conf)
  • Chaves SSH (se outras pessoas trabalham no seu servidor, elas terão de aceitar novas chaves, caso contrário. Isso inclui chaves do seu Apache, seus servidores de e-mail, seu servidor SSH e outros.)
  • Informações de hardware (placa de rede, etc. Consulte o seu /etc/modules.conf pré-instalado)
  • Arquivos de configuração Grub.

Em geral, é uma boa ideia ter uma cópia local do diretório original /etc no seu disco rígido local.

De um host executando o Arch Linux

Instale o pacote arch-install-scripts.

Siga Guia de instalação#Montar os sistemas de arquivos. Se você já usa o diretório /mnt para alguma outra coisa, basta criar outro diretório como /mnt/install e usá-lo.

Então, siga Guia de instalação#Instalação. Você pode pular Guia de instalação#Selecionar os espelhos, já que o host já deve ter a lista de espelhos correta.

Dica: Para evitar baixar novamente todos os pacotes, considere seguir Pacman/Dicas e truques#Cache do pacman compartilhado na rede ou usara opção -c do pacstrap.

Merge-arrows-2.pngThis article or section is a candidate for merging with Moving an existing install into (or out of) a virtual machine#Moving into a VM.Merge-arrows-2.png

Notes: Mesma abordagem. (Discuss in Talk:Install from existing Linux)
Nota: Se você quiser apenas criar uma cópia exata de uma instalação do Arch existente, também é possível copiar o sistema de arquivos para a nova partição. Com este método, você ainda precisará
  • Criar /etc/fstab e editar /etc/hostname
  • Excluir /etc/machine-id de forma que um novo, único, será gerado na inicialização
  • Fazer quaisquer outras alterações apropriadas à mídia de instalação
  • Instalar o gerenciador de inicialização (bootloader)

Ao copiar o sistema de arquivos raiz, use alguma coisa como cp -ax ou rsync -axX. Isso evita copiar conteúdo dos pontos de montagem (-x) e preserve os atributos de capacidades de alguns sistemas binários (rsync -X).

De um host executando outra distribuição Linux

Existem várias ferramentas que automatizam uma grande parte das etapas descritas nas subseções a seguir. Consulte as respectivas páginas para obter instruções detalhadas.

A maneira manual é apresentada nas seguintes subseções. A ideia é executar um sistema Arch dentro do sistema host, com a instalação real sendo executada a partir do sistema Arch. O sistema aninhado está contido dentro de um chroot.

Criando o chroot

Dois métodos para configurar e entrar no chroot são apresentados abaixo, do mais fácil ao mais complicado. Selecione apenas um dos dois métodos. Então, continue em #Usando o ambiente chroot.

Método A: Usando a imagem do bootstrap (recomendado)

Baixe a imagem bootstrap de um espelho (mirror) em /tmp.

Você também pode baixar a assinatura (mesma URL com .sig adicionado) e verificá-la com GnuPG.

Extraia o tarball:

# tar xzf <caminho-para-imagem-bootstrap>/archlinux-bootstrap-*-x86_64.tar.gz

Selecione um servidor de repositório editando /tmp/root.x86_64/etc/pacman.d/mirrorlist.

Entre no chroot

  • Se bash 4 ou posterior estiver instalado, e unshare tiver suporte às opções --fork e --pid:
# /tmp/root.x86_64/bin/arch-chroot /tmp/root.x86_64/
  • Do contrário, execute os seguintes comandos:
# mount --bind /tmp/root.x86_64 /tmp/root.x86_64
# cd /tmp/root.x86_64
# cp /etc/resolv.conf etc
# mount -t proc /proc proc
# mount --make-rslave --rbind /sys sys
# mount --make-rslave --rbind /dev dev
# mount --make-rslave --rbind /run run    # (presumindo que /run existe no sistema)
# chroot /tmp/root.x86_64 /bin/bash

Método B: Usando a imagem LiveCD

É possível montar a imagem raiz da mídia mais recente de instalação do Arch Linux e, em seguida, fazer chroot nela. Este método tem a vantagem de fornecer uma instalação funcional do Arch Linux no direito do sistema host sem a necessidade de prepará-lo instalando pacotes específicos.

Nota: Antes de prosseguir, verifique se a versão mais recente de squashfs está instalada no sistema host. Caso contrário, esperam-se erros como os a seguir: FATAL ERROR aborting: uncompress_inode_table: failed to read block.
  • A imagem raiz pode ser encontrada em um dos espelhos em arch/x86_64/. O formato squashfs não é editável, portanto, desfazemos o "squash" na imagem raiz e a montamos.
  • Para fazer um "unsquash" na imagem raiz, execute
# unsquashfs airootfs.sfs
  • Antes de fazer chroot para ela, precisamos configurar alguns pontos de montagem e copiar o resolv.conf para conectividade.
# mount --bind squashfs-root squashfs-root
# mount -t proc none squashfs-root/proc
# mount -t sysfs none squashfs-root/sys
# mount -o bind /dev squashfs-root/dev
# mount -o bind /dev/pts squashfs-root/dev/pts  ## importante para o pacman (para verificação de assinatura)
# cp -L /etc/resolv.conf squashfs-root/etc  ## Isso é necessário para usar conectividade com o chroot
  • Agora, tudo está preparado para fazer chroot para dentro do ambiente Arch recém-instalado
# chroot squashfs-root bash

Usando o ambiente chroot

O ambiente bootstrap é realmente minimalista (sem nano, sem ping, sem cryptsetup, sem lvm). Portanto, precisamos configurar o pacman para baixar o resto da base e, se necessário, base-devel.

Inicializando o chaveiro do pacman

Antes de iniciar a instalação, as chaves do pacman precisam ser configuradas. Antes de executar os dois comandos a seguir, leia pacman-key (Português)#Inicializando o chaveiro para entender os requisitos de entropia:

# pacman-key --init
# pacman-key --populate archlinux
Dica: A instalação e execução haveged deve ser feito no sistema hospedeiro, já que não é possível instalar pacotes antes de inicializar o chaveiro do pacman e porque systemd vai detectar que está sendo executado em um chroot e vai ignorar requisição de ativação. Se você for executar ls -Ra / em outro console (TTY, terminal, sessão SSH...), não tenha medo de executá-lo em um loop algumas vezes: cinco ou seis execuções do hospedeiro provou ser suficiente para gerar entropia suficiente em um servidor burro remoto.

Selecionando um espelho e baixando ferramentas básicas

Após selecionar um espelho, renove as listas de pacotes e instale o que você precisa: base, base-devel, parted etc.

Dicas de instalação

Você pode prosseguir agora para Guia de instalação#Partição dos discos e seguir o resto do Guia de instalação.

Alguns sistemas hospedeiros ou configurações podem exigir determinadas etapas adicionais. Veja as seções abaixo para obter dicas.

Host baseado no debian
/dev/shm

Em alguns sistemas baseados no Debian, pacstrap pode produzir o seguinte erro:

# pacstrap /mnt base
==> Creating install root at /mnt
mount: mount point /mnt/dev/shm is a symbolic link to nowhere
==> ERROR: failed to setup API filesystems in new root

Isso porque em algumas versões do Debian, /dev/shm aponta para /run/shm enquanto no chroot baseado no Arch, /run/shm não existe e o link está quebrado. Para corrigir esse erro, cria um diretório /run/shm:

# mkdir /run/shm
/dev/pts

Ao instalar archlinux-2015.07.01-x86_64 a partir de um host Debian 7, o seguinte erro impediu pacstrap e arch-chroot de funcionar:

# pacstrap -i /mnt
mount: mount point /mnt/dev/pts does not exist
==> ERROR: failed to setup chroot /mnt

Aparentemente, é porque esses dois scripts usam uma função em comum. chroot_setup()[1] depende em novos recursos do util-linux, que são incompatíveis com Debian 7 userland (veja FS#45737).

A solução para pacstrap é executar manualmente seus várias tarefas, mas use o procedimento regular para montaros sistemas de arquivos do kernel no diretório alvo ("$newroot"):

# newroot=/mnt
# mkdir -m 0755 -p "$newroot"/var/{cache/pacman/pkg,lib/pacman,log} "$newroot"/{dev,run,etc}
# mkdir -m 1777 -p "$newroot"/tmp
# mkdir -m 0555 -p "$newroot"/{sys,proc}
# mount --bind "$newroot" "$newroot"
# mount -t proc /proc "$newroot/proc"
# mount --rbind /sys "$newroot/sys"
# mount --rbind /run "$newroot/run"
# mount --rbind /dev "$newroot/dev"
# pacman -r "$newroot" --cachedir="$newroot/var/cache/pacman/pkg" -Sy base base-devel ... ## adicione os pacotes que quiser
# cp -a /etc/pacman.d/gnupg "$newroot/etc/pacman.d/"       ## copiar chaveiro
# cp -a /etc/pacman.d/mirrorlist "$newroot/etc/pacman.d/"  ## copiar lista de espelhos

Em vez de usar arch-chroot para Guia de instalação#Chroot, basta usar chroot "$newroot".

lvmetad

A tentativa de criar volumes lógicos LVM de um ambiente archlinux-bootstrap-2015.07.01-x86_64 em um host Debian 7 resultaram no seguinte erro:

# lvcreate -L 20G lvm -n root
  /run/lvm/lvmetad.socket: connect failed: No such file or directory
  WARNING: Failed to connect to lvmetad. Falling back to internal scanning.
  /dev/lvm/root: not found: device not cleared
  Aborting. Failed to wipe start of new LV.

(A criação de volume físico e grupo de volumes funcionaram apesar de /run/lvm/lvmetad.socket: connect failed: No such file or directory estar sendo exibido.)

Isso poderia ser facilmente contornado criando os volumes lógicos fora do chroot (do host Debian). Eles estão disponíveis uma vez que executados chroot novamente.

Tango-inaccurate.pngThe factual accuracy of this article or section is disputed.Tango-inaccurate.png

Reason: Esse problema não surgiu ao instalar de um host Debian 7 sem lvmetad habilitado. A bagunça recomendada com /etc/lvm/lvm.conf parece bastante propenso a erros (2015-07-26). (Discuss in Talk:Install from existing Linux)

Também, se o sistema que você está usando tiver lvm, você pode ter a seguinte saída:

# grub-install --target=i386-pc --recheck /dev/main/archroot
Installing for i386-pc platform.
  /run/lvm/lvmetad.socket: connect failed: No such file or directory
  WARNING: Failed to connect to lvmetad. Falling back to internal scanning.
  /run/lvm/lvmetad.socket: connect failed: No such file or directory
  WARNING: Failed to connect to lvmetad. Falling back to internal scanning.
  /run/lvm/lvmetad.socket: connect failed: No such file or directory
  WARNING: Failed to connect to lvmetad. Falling back to internal scanning.
  /run/lvm/lvmetad.socket: connect failed: No such file or directory
  WARNING: Failed to connect to lvmetad. Falling back to internal scanning.
  /run/lvm/lvmetad.socket: connect failed: No such file or directory
  WARNING: Failed to connect to lvmetad. Falling back to internal scanning.

Isso porque o Debian não usa lvmetad por padrão. Você precisa editar /etc/lvm/lvm.conf e definir use_lvmetad para 0:

use_lvmetad = 0

Tango-inaccurate.pngThe factual accuracy of this article or section is disputed.Tango-inaccurate.png

Reason: Esse problema é com LVM no Debian ou com tentar instalar Arch no LVM? (Discuss in Talk:Install from existing Linux)

Isto irá desencadear mais tarde um erro na inicialização no estágio initrd. Portanto, você deve alterá-lo depois da geração grub. Em um software RAID + LVM, as etapas seriam as seguintes:

  • Após instalar o sistema, verifique seu Mkinitcpio e as configurações do gerenciador de inicialização (boot loader). Veja Category:Boot loaders (Português) para uma lista de gerenciadores de inicialização.
  • Você pode precisar alterar seu /etc/mdadm.conf para refletir suas configurações de RAID (se aplicável).
  • Você pode precisar alterar seuHOOKS e MODULES de acordo com seus requisitos de LVM e RAID: MODULES="dm_mod" HOOKS="base udev mdadm_udev ... block lvm2 filesystems ..."
  • Você provavelmente vai precisar gerar novas imagens initrd com mkinitcpio. Veja Mkinitcpio#Image creation and activation.
  • Defina use_lvmetad = 0 em /etc/lvm/lvm.conf.
  • Atualize as configurações de seu gerenciador de inicialização. Veja a página wiki de seu gerenciador de inicialização para detalhes.
  • Defina use_lvmetad = 1 em /etc/lvm/lvm.conf.
Host baseado no Fedora

On Fedora based hosts and live USBs you may encounter problems when using genfstab to generate your fstab. Remove duplicate entries and the "seclabel" option where it appears, as this is Fedora-specific and will keep your system from booting normally.

Coisas para verificar antes de reiniciar

Antes de reiniciar, faça um chroot no sistema recém-instalado.

Certifique-se de criar um usuário com senha, para que você possa fazer o login via ssh. O login de root está desabilitado por padrão desde o OpenSSH-7.1p2.

Defina uma senha de root para que você possa alternar para root por meio do su mais tarde:

# passwd

Instale o ssh e habilite-o para iniciar automaticamente na inicialização.

Configure a conexão de rede para iniciar automaticamente na inicialização.

Configure um gerenciador de inicialização e configure-o para usar a partição swap que você apropriou anteriormente como a partição raiz. Você pode querer configurar seu gerenciador de inicialização para poder inicializar em seu sistema antigo; é útil reutilizar a partição /boot existente do servidor no novo sistema para este propósito.

Substituindo o sistema existente sem um LiveCD

Encontre ~700 MB de espaço livre em algum lugar do disco, p.ex. particionando uma partição swap. Você pode desativar a partição swap e configurar o seu sistema lá.

Defina a partição antiga de swap como nova partição raiz

Verifique cfdisk, /proc/swaps ou /etc/fstab para localizar sua partição swap. Presumindo que seu disco rígido esteja localizado em sdaX (X será um número).

Faça o seguinte:

Desabilite o espaço swap:

# swapoff /dev/sdaX

Crie um sistema de arquivos nele

# fdisk /dev/sda
(defina o campo de ID do /dev/sdaX para "Linux" - Hex 83)
# mke2fs -j /dev/sdaX

Crie um diretório para montá-lo nele

# mkdir /mnt/novosis

Finalmente, monte o novo diretório para instalar um sistema intermediário.

# mount -t ext4 /dev/sdaX /mnt/novosis

Instalação

Se estiver disponível menos de 700 MB, examine os pacotes na base do grupo e selecione apenas aqueles necessários para que um sistema com conexão à Internet seja executado e executado na partição temporária. Isso significará especificamente especificar pacotes individuais para pacstrap, bem como passá-lo a opção -c, para obter pacotes baixados para o sistema host para evitar o preenchimento de espaço valioso.

Uma vez que o novo sistema Arch Linux esteja instalado, reinicie no sistema recém-criado e faça um rsync de todo o sistema para a partição primária. Corrija a configuração do gerenciador de inicialização antes de reiniciar.